Conecte-se Conosco

Cultura

Araribá Jardim Botânico recebe evento internacional de estímulo à biodiversidade de florestas em Amparo (SP)

Publicado

em

O Araribá Jardim Botânico (AJB) receberá, entre 22 de janeiro e 2 de fevereiro, 36 participantes de projetos conservacionistas de 15 países no município de Amparo (SP). Em pauta, a discussão de metodologias e critérios para certificar iniciativas de reflorestamento que garantam a biodiversidade e a criação de um “Padrão Global de Biodiversidade” – projeto criado e encabeçado pela ONG britânica Botanic Gardens Conservation International (BGCI), que tem como parceiros jardins botânicos do mundo todo.

O Araribá Jardim Botânico (AJB) vai realizar, entre 22 de janeiro e 2 de fevereiro, em sua sede em Amparo (SP), um encontro com representantes de 15 países, como mais um passo para o desenvolvimento de um “Padrão Global de Biodiversidade”. A iniciativa, cuja sigla em inglês é GBS (Global Biodiversity Standard), foi idealizada pela ONG britânica Botanic Gardens Conservation International (BGCI) – da qual o AJB é parceiro no Brasil.

A ideia do GBS é desenvolver critérios, práticas e metodologias que garantam a manutenção, estimulem e perpetuem a biodiversidade em projetos de reflorestamento e conservação de matas nativas nos vários biomas do Planeta. O Padrão Global de Biodiversidade surgiu após a constatação, pelo BGCI, que, embora haja no mundo “uma rápida expansão dos plantios de árvores”, não tem existido preocupação com a efetiva manutenção e o estímulo à biodiversidade nesses plantios – que acabam se resumindo a captadores de carbono.

Desta forma, o BGCI idealizou o Padrão Global de Biodiversidade, a fim de “interromper essa crise e reconhecer iniciativas que protejam, restaurem e melhorem a biodiversidade florestal, em vez de acelerar o seu declínio”, diz a ONG.

No encontro em Amparo, município-sede do AJB, 36 participantes vão apresentar relatórios de trabalhos de campo realizados em seus respectivos países de um ano para cá, atualizações gerais, tomadas de decisão e definição de estratégias e ações futuras, informa o diretor do AJB, o educador ambiental Guaraci Diniz, que participou, há um ano, de encontro semelhante no Quênia, África.

Além de Brasil, estarão representados Uganda, Índia, Madagascar, Peru, Reino Unido, Indonésia, Jordânia, França, Estados Unidos, Alemanha, Quênia, Suíça, China (Hong Kong) e Malásia.

Como maior rede botânica e de conservação de plantas no mundo, o BGCI garante ser “a rede mais qualificada para estabelecer um padrão internacional de biodiversidade”. Mais de 850 instituições – principalmente jardins botânicos ao redor do Planeta – e 60 mil especialistas em cerca de cem países estão ligados ao BGCI, seja como membros, parceiros ou colaboradores técnicos.

Quando o Padrão Global de Biodiversidade estiver desenvolvido, projetos de reflorestamento e conservação florestal que de fato atendam a todos os seus critérios ESG (social, ambiental e de governança) receberão a certificação GBS.

O GBS foi inicialmente divulgado em 2021, durante a 26ª Conferência do Clima (COP26), em Glasgow, Escócia. Desde então, já angariou parceiros técnicos naqueles 15 países para lançar as bases do que seria um ambiente florestal efetivamente biodiverso nos vários biomas pelo mundo. Já na COP28, realizada entre novembro e dezembro de 2023, em Dubai, nos Emirados Árabes, o BGCI apresentou ao mundo o GBS, explicando o objetivo da certificação e os avanços obtidos até aqui no sentido de incentivo à conservação da biodiversidade florestal.

No Brasil, o Araribá Jardim Botânico – situado no Sítio Duas Cachoeiras, que abriga também a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Duas Cachoeiras, em Amparo – é o representante do BGCI para o GBS. Em 2021, a RPPN Duas Cachoeiras recebeu da Unesco o título de “Posto Avançado da Reserva da Biosfera do Programa Homem e Natureza”.

Guaraci Diniz e a equipe técnica do AJB já visitaram áreas de conservação florestal no Brasil nos biomas Cerrado, Mata Atlântica e Caatinga, com o objetivo de conhecer as áreas de reflorestamento e validar a metodologia de campo em projetos de restauração ecológica, no que diz respeito à manutenção efetiva da biodiversidade.

Neste sentido, Guaraci Diniz observa que há áreas de recomposição florestal aparentemente biodiversas, mas que só utilizam, por exemplo, espécies pioneiras da Mata Atlântica, que são de crescimento rápido, garantem efetiva cobertura florestal, porém têm “vida curta”. “São iniciativas mais preocupadas na fixação imediata de carbono no solo do que propriamente em garantir que a floresta recomposta de fato se perpetue com biodiversidade plena”, comenta. Há, também, casos de florestas formadas com árvores pioneiras, secundárias e clímax, mas em um número baixo de espécies, o que também não garante o estímulo à biodiversidade. “Por fim, existem projetos que simplesmente excluem a população local dos seus benefícios socioambientais e o GBS também levará os habitantes do entorno, no sentido de integrá-los ao projeto”, diz Guaraci Diniz.

Esta mesma realidade tem sido encontrada nos países parceiros do projeto, garante Guaraci Diniz. “Justamente por isso a reunião anual do GBS, no AJB, pretende chegar a um senso comum sobre como preservar a biodiversidade do Planeta com critérios efetivos”, finaliza.

SOBRE O BGCI – O Botanic Gardens Conservation International é uma ONG fundada em 1987, no Reino Unido, com o objetivo de unir os jardins botânicos do Planeta numa rede global para a conservação de plantas. Seu objetivo é apoiar e capacitar os membros e a comunidade conservacionista em geral para frear a ameaça de extinção de espécies florestais. A visão do BGCI é um mundo em que a biodiversidade vegetal seja valorizada, segura e apoie toda a forma de vida.

SOBRE O AJB – O Araribá Jardim Botânico (AJB) foi fundado em 2016, pelo educador ambiental Guaraci Diniz, com o objetivo de conservar e estimular a biodiversidade da Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Duas Cachoeiras, situada no Sítio Duas Cachoeiras, em Amparo (SP). Além disso, promover trocas com outros jardins botânicos e interessados em conservação ambiental e servir como abrigo para projetos ligados à preservação da Mata Atlântica, bioma no qual está inserido. Já conta, desde então, com projetos feitos em parceria com o BGCI, a suíça Fundação Franklinia, de preservação de espécies nativas da Mata Atlântica ameaçadas de extinção, e a Unicamp, entre outros. Também integra a Aliança Brasileira de Jardins Botânicos e é parceiro do BGCI no projeto do Padrão Global de Biodiversidade.

Continue lendo

Cultura

Gisele Tressi promove curso gratuito destinado à inclusão de artistas e produtores independentes

Publicado

em

De

O ‘Laboratório de Produção em Difusão’ atenderá grupos de comunidades periféricas em seis municípios do estado de São Paulo

A produtora Gisele Tressi apresenta seu mais recente projeto educacional, o Laboratório de Produção em Difusão, uma iniciativa destinada a capacitar e promover a inclusão de artistas e produtores culturais independentes. Realizado em parceria com o Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas, conta com o apoio do Governo Federal, do Ministério da Cultura e da Lei Paulo Gustavo.

O curso, contemplado no edital 17/2023 LPG, estende as atividades formativas de Gisele, que, ao longo dos últimos anos, oferece oficinas gratuitas de produção e gestão cultural destinadas a artistas, gestores, produtores, estudantes de artes cênicas, estagiários, auxiliares e jovens aprendizes, independentemente da experiência prévia. Dessa forma, atende desde aqueles que estão dando os primeiros passos em suas carreiras até os profissionais mais experientes em busca de aprimoramento.

Com carga horária de 12 horas e gratuito, o Laboratório acontece presencialmente em seis municípios do estado de São Paulo, em parceria com espaços culturais independentes e públicos. A iniciativa passa por Campinas, Praia Grande, São José dos Campos, São Paulo, Botucatu e Ribeirão Preto.

Todas as aulas contam com intérpretes de Libras, além de linguagem dinâmica para atender ao público neurodivergente, assim como a gravação das atividades em vídeo- aulas, que serão disponibilizadas com legendas e tradução em Libras. Serão selecionados outros seis grupos fora da capital paulista para receber esse conteúdo digital, junto com uma consultoria online.

Gisele destaca a importância do Laboratório como uma ferramenta para promover a inclusão social e diminuir o abismo socioeconômico que, por muitas vezes, impede o acesso à profissionalização na área cultural. Ao oferecer as ações gratuitamente, ela enfatiza que a cultura é um bem comum que deve estar ao alcance de todos, fortalecendo a presença das comunidades periféricas, pessoas pretas, indígenas, mulheres e/ou trans.

(Foto: Robson de Almeida)

Os parceiros locais desempenham um papel fundamental na realização do projeto, atendendo às necessidades de cada região, com destaque para as instituições e grupos culturais: em São José dos Campos (Fundação Cultural Cassiano Ricardo), Campinas (Laboratório de Produção e Ação Cultural do Departamento de Artes Cênicas da

Unicamp), Ribeirão Preto (Cia. Dita Cuja, Casa das Artes e Grupo Teatral Fora de Hora), Praia Grande (Circo Rebote), Botucatu (Cia. Beira Serra de Circo e Teatro) e São Paulo (Espaço Cultural Morro Doce).

SERVIÇO

Ribeirão Preto

  • Período de inscrições: 1 de maio a 25 de maio
  • Resultado: 26 de maio
  • Data do curso: 28, 29 e 30 de maio
  • Local: Casa das Artes – Caramuru, 3556, casa 2, Ribeirão Preto – SP
  • Horários: Dias 28 e 29 – 18h às 22h; dia 30 – 14h às 18h
  • Link do formulário: formulário de inscrição

SOBRE GISELE TRESSI

Lésbica, mãe, estudante de Ciência Política, cis-aliada das causas trans, com 15 anos de experiência na área de projetos culturais, atuando com elaboração, direção de produção, produção executiva, gestão e captação de recursos via editais, emendas parlamentares e leis de incentivo. Como elaboradora, possui aprovações em projetos culturais para ProAC em múltiplas linguagens, Fomentos de Circo e Música, emendas parlamentares, Lei Rouanet e FAC – DF. Destaca-se também a participação na elaboração da cartilha “Ação Cultural”, para elaboração de projetos do ProAC do Sebrae. Na direção de produção, destacam-se os FIC – SP (Festival Internacional de Circo de São Paulo), Festival das Marias – BR, I e II Cultura em Movimento do Teatro Flávio Império, Festival Allegria e Festival de Circo do Bixiga. Na área de produção executiva e gestão, possui experiência em circulações locais, regionais, nacionais e internacionais, representando artistas de São Paulo, Brasília, Uruguai e Togo.

Continue lendo

Cultura

“Canto das Ditas” celebra força e história das mulheres de Cidade Tiradentes

Publicado

em

De

Espetáculo teatral faz parte da agenda da “Mostra das Ditas: Corpo-Repertório- Cotidiano e Resgate”, oferecendo reflexões sobre ancestralidade na periferia da zona leste de São Paulo. Completamente gratuita, a agenda, programada para o próximo dia 25 de maio, celebra ainda os 17 anos de existência e resistência do grupo Filhas da Dita

O CEU Inácio Monteiro será palco, no dia 25 de maio, de uma reverência às mulheres que construíram e moldaram o bairro de Cidade Tiradentes. O espetáculo “Canto das Ditas – Fragmentos Afrografados de Cidade Tiradentes”, das Filhas da Dita, promete uma noite de celebração, reflexão e conexão com a ancestralidade.

Com direção e dramaturgia de Antonia Mattos e em parceria com a Secretaria de Cultura de São Paulo, “Canto das Ditas” chega para saudar mulheres negras que foram fundamentais na história e na formação do bairro. Concebido e realizado por mulheres, o espetáculo é uma homenagem para todas – avós, mães, tias, irmãs, primas, vizinhas e amigas.

“Se não contarmos nossa própria história, vem alguém e conta tudo errado. Deixa, então, com a gente que nasceu e cresceu aqui – do extremo da zona leste, produzindo vários saberes”, comenta a atriz Luara Iracema.

A proposta do projeto é mergulhar nas histórias e vivências, evocando as ancestralidades sagradas e celebrando o poder feminino. Por meio de gestos, música, canto e narrativas, traz à tona milênios de existência, cruzando a força ancestral de Orixás femininas com a construção histórica de Cidade Tiradentes por mulheres negras.

A apresentação abre os caminhos da Mostra das Ditas, que abrange uma série de eventos para o compartilhamento do trabalho e da pesquisa do Coletivo Filhas da Dita, por meio de exibição de repertório, trocas e práticas em diálogo com o território do projeto, trazendo figuras importantíssimas como a Dra. Leda Maria Martins, Salloma Salomão e Hilton Cobra. Entre os objetivos está a contribuição para a garantia do direito à cultura para pessoas moradoras de Cidade Tiradentes – que completa 40 anos de existência em 2024. Projeto é realizado com apoio da 8ª edição do Fomento à Periferia.

“A Lei de Fomento às Periferias é fruto de uma mobilização popular organizada para democratizar o acesso, o recurso e fazer o dinheiro de fato chegar nas pontas, nas bordas, chegar nas mãos de quem produz a cultura periférica da Cidade de São Paulo”.

Em “Canto das Ditas”, a música desempenha um papel fundamental na encenação, representando a voz e o canto dessas mulheres em um cenário que oscila entre o ritual e o urbano contemporâneo. Além de celebrar o passado, busca fortalecer o presente e, ainda, vislumbrar o futuro. Por meio de elementos e saberes ancestrais, propõe uma reflexão sobre o papel da mulher nas periferias e sua capacidade de resiliência e transformação.

Para as integrantes do grupo Filhas da Dita, responsáveis pela produção do espetáculo, ocupar os palcos dos equipamentos públicos de Cidade Tiradentes é uma forma de reivindicar o acesso à cultura e às artes para a população local.

“Esse projeto é sobre resgate, autoestima e empoderamento de nós mesmas e da nossa trajetória. Pra gente que não é norma é difícil se sentir bonita, inteligente e cheia de babado para compartilhar. São 17 anos de gente preta, travesti, indigena e LGBT que insiste em fazer cultura na e para a quebrada”, finaliza a atriz Lua Lucas.

SERVIÇO

“Canto das Ditas – Fragmentos Afrografados de Cidade Tiradentes” Data: 25 de maio de 2024

Horário: 19h

Local: CEU Inácio Monteiro (Rua Barão Barroso do Amazonas, s/n)

Entrada gratuita

Direção e Dramaturgia: Antonia Mattos

Produção: Angelus Manuel

Elenco: Ellen ZL, Lua Lucas, Luara Iracema, Thábata Wbalojá, Cláudio Pavão

Direção musical: Jonathan Silva

Concepção de luz: Antonia Mattos e Fernando Alves

Técnica de Luz: Lu Silva Cenário e figurino: Eliseu Weide Contrarregra: Canafístula Social Media: Fel Lara

Comunicação: Assessoria Bianco

Continue lendo

Cultura

Sucesso em 2024, BiS SiGMA já tem data confirmada para abril de 2025

Publicado

em

De

(Divlgacao_Eman Pulis, presidente do SiGMA Group; Carlos Cardama e Alessandro Valente, cofundadores do Brazilian iGaming Summit)

O maior evento iGaming e Apostas Esportivas da América Latina será realizado no mês de abril em 2025

O próximo BiS SiGMA está confirmado para o ano de 2025. Novamente no Expo Transamérica, nos dias 07, 08 e 09 de abril, a cidade de São Paulo será palco desse show que, mais uma vez, mostra ao público o crescimento exponencial que o setor vem passando.

E para 2025, o BiS SiGMA terá um espaço ainda maior para receber os expositores e o público, passando de 19 mil m² para 30 mil m², o que representa um aumento de cerca de 60%.

A expectativa é que mais de 350 empresas sejam expositoras, dentre patrocinadores, operadores, provedores, desenvolvedores de jogos, empresas de afiliação, marketing e demais verticais.

“O evento desse ano foi um sucesso. Houve muita troca de ideias sobre o futuro do mercado, regulamentação e o que ela pode trazer para esse segmento. Para 2025, já temos uma área maior para trazer ainda mais conteúdo, ações e empresas que acreditam nesse evento”, explica o cofundador da BiS, Alessandro Valente.

Com cerca de 14 mil pessoas, evento de 2024 bate recorde de público

De acordo com dados recentes, o Brasil ocupa a terceira colocação mundial quando falamos sobre apostas online. Por isso, o interesse de grupos de outras nacionalidades em entrar ou intensificar suas operações no território nacional é imenso, comprovado na última edição.

Afinal, o BiS SiGMA Américas recebeu expositores de 60 países diferentes com mais de 35 idiomas falados nos corredores do evento, ao longo dos dois dias. Sendo assim, todos os painéis e palestras com figuras renomadas internacionalmente contaram com a opção de tradução simultânea.

Carlos Cardama, um dos idealizadores do evento, destaca a importância dos painéis realizados, abrangendo aspectos de educação, networking, marketing e entretenimento: “Esse é o melhor evento do segmento na América Latina e pudemos oferecer palestras com muito conteúdo do mercado. É um orgulho interagir com tantas pessoas de diferentes idiomas e culturas sob um mesmo teto”.

Para o próximo ano, o BiS SiGMA 2025 promete vir ainda mais “forte”, trazendo uma experiência imperdível para todos os entusiastas e profissionais da área. Com uma programação repleta de palestras inspiradoras, painéis enriquecedores e inúmeras oportunidades de networking, o maior evento da América Latina proporcionará insights valiosos e momentos memoráveis.

Continue lendo
Propaganda

Destaque