Conecte-se Conosco

Cinema

Curta-metragem “O Seguidor” revela os desafios emocionais de uma influenciadora digital e terá exibição exclusiva no MIS, em São Paulo

Publicado

em

No universo aparentemente perfeito das redes sociais, muitas vezes esconde-se uma realidade complexa e cheia de desafios emocionais. É justamente essa perspectiva que o curta-metragem “O Seguidor” explora, revelando os bastidores da vida de uma influenciadora digital que, apesar de sua carreira de sucesso, enfrenta uma inexplicável depressão no qual o motivo misterioso aparece apenas quando está diante das câmeras. O projeto terá exibição exclusiva e gratuita no próximo dia 24 de Junho, no Museu de Imagem e Som (MIS), em São Paulo.  Confira aqui o trailer de “O Seguidor”

Com direção de Pedro Kalli e Renata Moraes, o projeto surgiu durante a pandemia, quando Renata escreveu o primeiro tratamento do roteiro em 2020. Desde então, a roteirista e diretora se dedicou ao desenvolvimento do roteiro, refinando-o até a versão final. A ideia surgiu para tentar elucidar em forma de metáfora o quanto uma depressão pode ser tão debilitante quanto uma doença física. Muitas pessoas ainda subestimam as doenças psicológicas como se elas fossem resultado apenas de falta de energia e motivação. Talvez as pessoas levassem mais a sério se essa doença tida como abstrata se materializasse em frente às câmeras como uma entidade maligna.

A intenção do curta-metragem é proporcionar ao público uma experiência única, como se estivessem testemunhando de perto a rotina de uma influencer. Desde o início, a equipe de produção sempre teve consciência desse objetivo. “O Seguidor” é um recorte da vida de Sara, interpretada pela talentosa atriz Kelita Carvalho. Ela vive uma personagem que lida com a depressão e, mesmo assim, precisa seguir em frente e lutar. 

“A trama é do gênero terror, mas a intenção não é que as pessoas sintam medo, mas que sintam a angústia da personagem”, afirma Renata, roteirista e diretora.

“O objetivo sempre foi mostrar um pouco o lado ‘obscuro’ da rede social, e não só isso, mas o como ela afeta nossa vida, rotina, dia a dia, e mostrar como a Sara querendo ou não é baseada em uma pessoa real. Uma pessoa que enfrenta fortes problemas depressivos mas que além de tudo precisa estar sempre conectada, pois esse é seu trabalho”, afirma Pedro, diretor do projeto.

“O Seguidor” traz à tona questões relevantes sobre saúde mental, destacando os desafios enfrentados por influenciadores digitais, que muitas vezes precisam manter uma aparência impecável enquanto lidam com suas próprias batalhas internas. O elenco também conta com a participação dos atores Amanda Azevedo (Luiza em “De Volta Aos 15” – NETFLIX), e Lucas Napoleão.

Com uma abordagem intensa e impactante, “O Seguidor” convida o público a refletir sobre a autenticidade por trás das telas, mostrando que, por trás dos sorrisos e posts cuidadosamente selecionados, existem seres humanos reais com emoções e lutas particulares.

Exibição exclusiva no MIS – São Paulo

O Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo, receberá no próximo dia 24 de Junho, a exibição exclusiva do curta-metragem “O Seguidor”, que tem previsão de estreia para público geral apenas para o segundo semestre de 2023. 

A exibição no MIS será uma oportunidade única para os espectadores se envolverem com a história de “O Seguidor” e além disso, ter a oportunidade de conversar com elenco e toda a equipe de produção em um bate papo especial. 

“Nós estamos muito animados, até porque sabemos da importância que esse lugar tem não só pro cinema, mas para o mundo artístico como um todo. Então ter uma exibição nossa num espaço como esse é algo muito grande pra gente. Nosso trabalho é independente, pouca verba, então faz parte de um objetivo muito forte que a gente conquistou. Estamos todos animados e esperando o feedback de todo mundo”, finaliza Pedro.

A entrada é gratuita e os ingressos podem ser retirados na bilheteria uma hora antes.

 

Cinema

Fantaspoa recebe diretores do thriller sobrenatural “The Island Between Tides” para sessão comentada

Publicado

em

De

  • “The Island Between Tides” marca a primeira adaptação cinematográfica da pouco conhecida história de fantasmas “Mary Rose”, elogiada pelo New York Times, após um turbulento legado envolvendo Alfred Hitchcock. O aclamado diretor chegou a manifestar interesse em adaptar a peça para o cinema, revelando que considerava “Mary Rose” um dos grandes roteiros nunca realizados em sua carreira

O longa-metragem “The Island Between Tides” está prestes a fazer sua estreia na América Latina durante a 20ª edição do renomado Festival Fantaspoa. O evento, que ocorrerá entre os dias 10 e 28 de abril em Porto Alegre (RS), receberá a presença especial dos diretores do filme, Austin Andrews e Andrew Holmes, que estarão presentes para acompanhar e comentar a sessão do dia 13 (sábado), que acontecerá na Cinemateca Capitólio. 

Baseado na peça “Mary Rose” (1920) de J.M. Barrie, autor de “Peter Pan”, o filme conta com um elenco encabeçado por Paloma Kwiatkowski, David Mazouz, Donal Logue e Camille Sullivan. A história acompanha Lily, uma jovem que segue uma misteriosa melodia até uma remota ilha de maré, onde se depara com uma realidade alterada pelo tempo, desencadeando eventos sobrenaturais que desafiam sua compreensão da realidade.

A avant-premiere do filme ocorreu no início do mês na Califórnia, durante a abertura do Cinequest, recebendo elogios do Diretor de Programação do festival, Michael Rabehl, que destacou a capacidade do filme de equilibrar mistério e emoção.

“The Island Between Tides” marca a primeira adaptação cinematográfica da pouco conhecida história de fantasmas “Mary Rose”, elogiada pelo New York Times, após um turbulento legado envolvendo Alfred Hitchcock. O aclamado diretor chegou a manifestar interesse em adaptar a peça para o cinema, revelando que considerava “Mary Rose” um dos grandes roteiros nunca realizados em sua carreira.

Os diretores canadenses Austin Andrews e Andrew Holmes já haviam trabalhado juntos na direção do filme “Lord Jones Is Dead”, de 2016. Agora, Andrews e Holmes formam uma dupla dinâmica que promete trazer uma visão única e impactante para “The Island Between Tides”. Eles têm como objetivo discutir os bastidores desta produção única com o público em Porto Alegre, proporcionando uma oportunidade para os fãs do cinema fantástico conhecerem mais sobre o processo criativo por trás desta obra.

Confira as datas de exibição de “The Island Between Tides” no Festival Fantaspoa:

CINEMATECA CAPITÓLIO – 13/04 (sábado) – 18h15

SESSÃO COMENTADA COM OS DIRETORES AUSTIN ANDREWS E ANDREW HOLMES

CINEMATECA CAPITÓLIO – 16/04 (terça) – 13h

Para mais informações sobre o Festival Fantaspoa e a programação completa, visite o site oficial do evento.

Sinopse “The Island Between Tides”:

​Norte da província Colúmbia Britânica, 1982. Lily, de seis anos, desaparece. Por dois dias e noites, ninguém consegue encontrar a alegre menina que vagou por uma ilha remota de maré. Até que ela é encontrada exatamente onde foi vista pela última vez, sem memória de ter estado ausente. Ilesa, mas não inalterada. As mudanças começam gradualmente. Lily desenvolve habilidades musicais prodigiosas, percebendo o mundo através de uma melodia misteriosa que só ela pode ouvir. Mas ela não consegue se livrar da obsessão por esta ilha da qual não se lembra, e que sua família se recusa a discutir. Aos 20 anos, a melodia a leva de volta a ela, e quando ela desaparece novamente, desta vez é para sempre. Ou pelo menos todos acreditavam.

Décadas depois, Lily reaparece. Mas, de forma impossível, ela parece exatamente como no dia em que desapareceu. Para ela, nenhum tempo passou. Ainda uma jovem mulher, o resto do mundo envelheceu ao seu redor, sua família agora reduzida ao seu pai idoso, irmã de meia-idade e o filho problemático que ela deixou ainda bebê. Sua assimilação não é fácil, testando até mesmo o vínculo mais forte da família. Porque desta vez, Lily não voltou sozinha.

Sobre o Festival Fantaspoa:

O Fantaspoa é um dos festivais de cinema mais importantes e longevos da América Latina, dedicado à celebração do cinema fantástico em todas as suas formas. Com uma história de duas décadas, o festival continua a encantar cinéfilos e profissionais da indústria cinematográfica com sua seleção cuidadosamente curada de filmes de todo o mundo.

Continue lendo

Cinema

12a EDIÇÃO DA MOSTRA TIRADENTES |SP CHEGA AO CINESESC

Publicado

em

De

De 13 a 19 de março de 2024, evento exibe 28 filmes em pré-estreia, promove 12 bate-papos após as sessões com a presença dos cineastas e realiza debate com foco na temática desta edição “As formas do tempo”.
Dentre os destaques da programação, a exibição dos vencedores da 27ª Mostra de Cinema de Tiradentes

Neste mês, a MOSTRA TIRADENTES|SP volta a ocupar o Cinesesc em São Paulo. De 13 a 19 de março, o público da capital paulista poderá conferir a exibição de 28 filmes, a maioria inéditos em São Paulo, e que fizeram parte da programação da 27ª Mostra de Cinema de Tiradentes, realizada em janeiro, em Tiradentes. A 12ª Mostra Tiradentes | SP será norteada pela temática “As formas do tempo”, abordada na edição mineira, dando sequência e ampliando a reflexão com discussões e novas perspectivas.

“A força do cinema brasileiro contemporâneo pode ser conhecida nas edições anuais da Mostra Tiradentes|SP que, em 2024, celebra 12 anos na capital paulista com o propósito de ampliar novos olhares, vozes e exibir um panorama múltiplo da produção audiovisual no Brasil. Sessões tem debates após a exibição dos filmes com a presença de realizadores, provocando reflexão sobre as imagens e histórias do cinema como resposta ao seu tempo histórico. Graças à parceria com o Sesc São Paulo, o cinema brasileiro ganha mais espaço e dimensão na cidade, e o público, a oportunidade de conhecer filmes que muitas vezes não chegam ao circuito comercial”, conta Raquel Hallak, Diretora da Universo Produção e Coordenadora Geral da Mostra Tiradentes|SP.

FILMES E DEBATES

Com 10 longas e 18 curtas, a 12ª MOSTRA TIRADENTES | SP traz um recorte da 27ª Mostra Tiradentes, que exibiu 145 produções, e levou um público estimado de 35 mil pessoas para a cidade mineira, número sete vezes maior que a população do município.

Entre os destaque da edição paulistana estão os seis premiados da edição mineira: “Lista de Desejos para Superagüi” (PR) (Melhor Longa da Mostra Aurora eleito pelo Júri Oficial), de Pedro Giongo, que será exibido na abertura do evento, no dia 13, às 20h; “Aquele que Viu o Abismo” (SP) (Prêmio Carlos Reichenbach – Mostra Olhos Livres, eleito pelo Júri Jovem), de Gregorio Gananian e Negro Leo; “Maçãs no Escuro” (SP) (Menção Honrosa da Mostra Aurora concedida pelo Júri Oficial), de Tiago A. Neves; “Estranho Caminho” (CE) (Melhor Longa da Mostra Autorias eleito pelo Júri da Crítica – Abraccine), de Guto Parente; “As Primeiras” (SP) (Melhor Longa eleito pelo Júri Popular), de Adriana Yañez; “Eu Fui Assistente do Eduardo Coutinho” (RJ) (Melhor Curta da Mostra Foco eleito pelo Júri Oficial e vencedor do Prêmio Canal Brasil de Curtas), de Allan Ribeiro; “Aguyjevete Araxi’I” (SP) (Prêmio Helena Ignez concedido pelo Júri Oficial), de Kerexu Martim; e “Soneca e Jupa”, de Rodrigo R. Meireles.

Avaliadas pelo Júri Oficial, as Mostras Aurora (longas) e Foco (curtas) serão exibidas integralmente na programação da itinerância paulista, sendo 7 longas da Aurora e os 13 curtas da Mostra Foco. Além dos vencedores, destaca-se a presença dos filmes paulistas “Sofia Foi”, de Pedro Geraldo; “Eu Também Não Gozei”, de Ana Carolina Marinho; e “O Tubérculo” de Lucas Camargo de Barros e Nicolas Thomé Zetune. Na programação de curtas, destaque para “O Materialismo Histórico da Flecha contra o Relógio”, de Carlos Adriano.

Realizada especialmente para a 12ª Mostra Tiradentes | SP, a Mostra Vertentes de curtas reúne quatro filmes marcados pelo fazer cinematográfico como ação social, histórica e política, ou com intenções mais diretamente atentas a esses aspectos das vidas real e ficcional de diferentes personagens. São documentários produzidos em São Paulo que demonstram a força do cinema contemporâneo paulista: “Até o último sopro”, de Benjamin Medeiros; “Nagano”, de Letícia Hayashi; “Nosso Panfleto seria assim”, de Leandro Olimpio; e “Mborairapé”, de Roney Freitas.

Além da exibição de curtas e longas, a Mostra contará também com bate-papos com a presença de diretores, equipes e curadoria após as sessões, garantindo maior interatividade com o público e ampliação da experiência cinematográfica. Ao todo, serão 12 bate-papos com realizadores e um debate especial com produtores e cineastas paulistas com o tema “AS FORMAS DO TEMPO NO CINEMA CONTEMPORÂNEO BRASILEIRO: TRABALHO E CRIAÇÃO”, que busca discutir sobre como realizadores e realizadoras veem o tempo como elemento de criação e pensamento sobre as imagens e quais os critérios que deve-se levar em consideração para construir uma política pública para o audiovisual que não implique em uma padronização dos tempos de produção e das formas audiovisuais. A conversa acontece na segunda, 18 de março, às 19h, no hall do Cinesesc.

FÓRUM DE TIRADENTES: ENCONTROS PELO AUDIOVISUAL BRASILEIRO

 

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

Abaixo, a programação completa da 12ª Mostra Tiradentes | SP e para mais informações sobre os filmes, acesse https://mostratiradentessp.com.br/

Continue lendo

Cinema

Ministério do Meio Ambiente e Ecofalante assinam Acordo de Cooperação Técnica

Publicado

em

De

O Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima (MMA), por intermédio da Secretaria Executiva, assinou um Acordo de Cooperação Técnica com a Organização da Sociedade Civil (OSC) Ecofalante, que terá vigência de 5 anos.

O objetivo deste acordo é a conjugação de capacidades técnica e política dos partícipes, visando o desenvolvimento de programas, projetos e ações de educação ambiental, cidadania e responsabilidade socioambiental em todo o território nacional.

A Ecofalante é uma OSC fundada em 2003 com o objetivo de criar e trabalhar em projetos que contribuam para o desenvolvimento sustentável do planeta por meio da educação e da cultura. Dentro dessa proposta, seu maior projeto é a Mostra Ecofalante de Cinema, que é o ponto de partida para seus projetos educacionais, como o Programa Ecofalante Universidades, que leva filmes e debates sobre temas socioambientais ao ambiente de ensino, e a Ecofalante Play, plataforma de streaming educacional gratuita.

A parceria entre o Ministério do Meio Ambiente e a Ecofalante representa um compromisso conjunto em promover a conscientização e ações concretas para a promoção da sustentabilidade na sociedade brasileira e o combate às mudanças climáticas.

Continue lendo
Propaganda

Destaque