Conecte-se Conosco

Saúde

Mudar alimentação pode acrescentar até 13 anos de vida

At vero eos et accusamus et iusto odio dignissimos ducimus qui blanditiis praesentium voluptatum deleniti.

Publicado

em

Foto: Freepik

Já está claro que comer menos doces e mais vegetais faz bem para a saúde. Um novo estudo, porém, traduziu em números os impactos de ter uma dieta saudável: é possível aumentar em até 13 anos a expectativa de vida ao mudar a alimentação.

A pesquisa estimou o tempo de vida ganho – ou melhor, que deixaria de ser perdido – ao se substituir uma dieta típica ocidental – com alta ingestão de carne vermelha, açúcar e processados – por uma alimentação à base de grãos integrais e leguminosas, como feijão e lentilha. O estudo foi realizado por cientistas da Universidade de Bergen, na Noruega.

De acordo com os pesquisadores, um jovem de 20 anos nos Estados Unidos pode alcançar um aumento de até 13 anos na expectativa de vida após fazer essa mudança alimentar de forma permanente. Entre as mulheres americanas com a mesma idade, o ganho seria de 10,7 anos ao adotar uma dieta mais saudável.

A mudança alimentar na faixa dos 40 também ajuda na saúde. O ganho de expectativa de vida, de acordo com a pesquisa, é de 10 anos para as mulheres e de 11,7 anos para os homens que trocam alimentos como bacon e salsichas por legumes e verduras.

Já entre os idosos de 80 anos, os cientistas apontaram um benefício menor: alta de 3,4 anos na expectativa de vida, após a troca da dieta. Todas as faixas etárias analisadas se beneficiariam das mudanças alimentares, de acordo com a pesquisa, mas o ganho cai à medida em que a troca ocorre mais tarde.

“A mudança sustentada de uma dieta típica para uma dieta otimizada desde tenra idade pode se traduzir em um aumento na expectativa de vida de mais de 10 anos. Os ganhos são reduzidos substancialmente com o atraso no início das mudanças, principalmente quando se aproxima a idade de 80 anos”, concluíram os pesquisadores.

Até mesmo uma dieta “no meio do caminho” entre a típica ocidental e a considerada ideal traz benefícios, segundo os autores. Um prato que não exclui, mas reduz a quantidade de carnes vermelhas e processadas e a de bebidas açucaradas também está associado a um aumento de expectativa de vida, embora menor.

A mensagem principal do estudo, segundo afirmam os cientistas, é a de que comer mais leguminosas, grãos integrais e nozes e comer menos carne vermelha e carnes processadas parece ser a forma mais eficaz de aumentar a expectativa de vida entre pessoas que seguem uma dieta típica ocidental.

O estudo foi publicado na semana passada na revista científica Plos Medicine. Para chegar a esta conclusão, os cientistas analisaram uma série de outras pesquisas que já indicavam associação entre a ingestão de determinados alimentos e a mortalidade.

Essas pesquisas avaliadas pelos noruegueses mediram o impacto no risco de mortes prematuras para vários grupos de alimentos, como frutas, vegetais, grãos integrais e refinados, nozes e legumes, peixes, ovos, leite/laticínios, carnes vermelhas e processadas, e bebidas açucaradas.

Já está claro para a Medicina que comer certos alimentos pode levar a um aumento de doenças cardiovasculares, câncer e diabete, responsáveis pelo grande número de mortes em todo o mundo. Carnes processadas, como bacon e linguiça, por exemplo, aumentam o risco de câncer do intestino, segundo relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A análise dessas pesquisas anteriores levou cientistas noruegueses a criar uma espécie de calculadora da dieta, em que são avaliados em conjunto os benefícios dos alimentos já pesquisados anteriormente. Segundo os cientistas, a ferramenta pode ser útil para que médicos, legisladores e a população em geral entendam o impacto de escolhas alimentares.

A pesquisa tem limitações. Os cientistas ponderam que os estudos considerados para criar a calculadora devem ser interpretados com cautela. Parte deles apresenta associações entre a ingestão de determinados alimentos e aumento ou redução da mortalidade, sem comprovar relação de causalidade. As estimativas dos noruegueses também não levam em conta diferenças de fatores de risco nem vulnerabilidade genética de algumas populações.

Saúde

Starlab compra Bonsai e avança na digitalização da saúde

Publicado

em

De

Planos incluem expansão do App e lançamento de novas funcionalidades

A Starlab, empresa de diagnósticos médicos do Rio de Janeiro, acaba de finalizar a compra do aplicativo de cuidados de saúde Bonsai. Este é mais um passo estratégico do empresário João Renato Côrtes de Barros Silveira, ex-proprietário da Lafe e fundador da ProEcho, vendidas respectivamente para o Grupo Fleury, em 2018, e para o Grupo Alliança de Nelson Tanure, em 2023.

A Starlab projeta expandir o alcance do App dos atuais 10 mil para mais de 1 milhão de usuários no próximo ano, com novas integrações em negociação. Além da expansão, os planos incluem agregar funcionalidades de inteligência artificial à experiência, com sugestões customizadas de cuidado preventivo e serviço concierge para marcação de exames.

A aquisição tem como objetivo fortalecer o ecossistema digital das empresas e parceiras do grupo, oferecendo novos benefícios e serviços à uma base de 7 milhões de usuários. “Acredito muito no Bonsai, é uma poderosa ferramenta de administração da saúde da família. Ele permitirá através de seu desenvolvimento, a forte inclusão de inteligência artificial, o acompanhamento dos diagnósticos, tratamentos e evoluções das etapas da vida humana. Poderemos desde controlar o período menstrual/fértil como acompanhar nossos avós remotamente. Todos os exames, todos os prazos, todas as recomendações em um único lugar. Este é o futuro!” afirma Silveira. O valor da transação não foi divulgado.

Fundado em junho de 2020 pelo empreendedor Oscar Faria e pelo empresário Marcos Gomes, o Bonsai é um aplicativo para armazenamento e acompanhamento da saúde familiar. Seu objetivo é devolver às pessoas a acessibilidade e controle dos seus dados, que antes moravam esquecidos em pastas, nos consultórios médicos ou mesmo espalhados nos portais de cada laboratório, dos quais ninguém lembra as senhas.

“A venda para a Starlab marca uma virada de chave para o Bonsai. Com a vasta experiência de Silveira no mercado e com sua rede de relacionamentos vamos alavancar exponencialmente o número de usuários. Estou muito animado com o que vem pela frente”, disse Faria.

Inspirados por situações pessoais em que familiares precisaram de atendimento hospitalar urgente e não tinham acesso a informações básicas como tipo sanguíneo a exames recentes, os fundadores conceberam a ideia de um repositório digital unificado para dados de saúde, facilmente compartilhados por cuidadores e responsáveis. O aplicativo abrange desde resultados de exames a receitas de medicamentos e consultas médicas, narrando não apenas a história da saúde individual, mas também familiar. No Bonsai, é possível conectar contas e adicionar dependentes.

O nome Bonsai deriva da arte milenar japonesa de plantar e cuidar de árvores miniaturas que são passadas de geração em geração. “Além de cuidar melhor da nossa saúde, deixaremos um legado de dados para a próxima geração. Imagina se eu soubesse hoje que 80% dos meus ascendentes desenvolveram diabetes. Meu cuidado preventivo seria muito mais direcionado”, explica Faria.

O Bonsai foi criado como solução para um desafio pessoal, porém seus idealizadores não tinham experiência prévia nos setores de tecnologia ou saúde. “Navegar nos mercados de tecnologia e saúde, promover o crescimento e construir parcerias representou um obstáculo em um mercado tão fechado e regulado”, observou Faria.

Continue lendo

Saúde

A Força dos pensamentos: explorando os mistérios por trás da lei da atração

Publicado

em

De

A técnica da Lei da Atração se baseia na ideia de que a mente humana e o universo estão conectados por meio da energia dos pensamentos. De acordo com essa teoria, os pensamentos emitem uma energia que pode atrair ou repelir vibrações específicas. Por isso, é comum a recomendação de “pensar positivo”, já que, segundo a Lei da Atração, pensamentos positivos têm o poder de atrair mais positividade, enquanto pensamentos negativos atraem mais negatividade.

Resumidamente, a Lei da Atração sugere que, ao focar no que se deseja, é possível que o universo colabore para transformar esse desejo em realidade. Essa concepção parte do pressuposto de que nossos pensamentos e intenções têm a capacidade de moldar a realidade ao nosso redor.

A terapeuta especializada em Lei da Atração, Cibele Degrazia, destaca a relevância de compreender o impacto dos pensamentos em nossa existência. Segundo ela, nossos pensamentos não são apenas processos mentais simples, mas sim fontes de energia que interagem com o universo à nossa volta.

Através da prática consciente da Lei da Atração, conseguimos guiar nossos pensamentos e desejos para materializar o que almejamos em nossas vidas. Ao nos concentrarmos em nossas metas e permanecermos conectados com a energia positiva, aumentamos as possibilidades de atrair experiências e oportunidades alinhadas com nossos objetivos.

“Quando nos concentramos no que queremos e mantemos uma vibração positiva, estamos enviando ao universo um sinal claro das nossas intenções”, destaca Cibele. “E o universo, por sua vez, responde de acordo, trazendo para nossas vidas aquilo em que estamos vibrando.”

Embora a Lei da Atração seja uma técnica poderosa, é importante ressaltar que seu sucesso depende da prática consistente e da crença no seu potencial. Ao compreendermos e aplicarmos os princípios dessa lei de forma consciente, podemos abrir caminho para uma vida repleta de realizações e prosperidade.

Continue lendo

Saúde

Especialista da saúde ganha por unanimidade a posse da Câmara Técnica do Cremeb por criar um novo modelo de check-up feminino

Publicado

em

De

Fundadora do novo estilo de check-up médico na Bahia, a Dra. Anna Paola Noya Gatto foi eleita por unanimidade para a posse na Câmara Técnica do Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (CREMEB). A mastologista foi a primeira mulher a criar ações gratuitas para o Outubro Rosa e uma das primeiras baianas a se especializar em Medicina da Prevenção. A inovação mais renomada de Anna, porém, foi A Clínica da Mulher, que está se destacando no Brasil por criar um novo modelo de check-up para as pacientes.

“Você chega e passa por uma sequência de exames com médicas, todas mulheres, que já fazem as checagens ali mesmo”, explica Rita Brandão, 50, que é empresária e chegou a ficar dois anos sem fazer check-up. “Isso de ter que ir fazer os exames em vários locais diferentes e depois ainda voltar para a consulta era muito complicado no meu dia a dia, acabava postergando”, explica. Foi através da inovação da Dra. Anna Paola Noya Gatto que ela passou a se cuidar com periodicidade. “Vou anualmente e faço tudo de uma vez. Saio de lá com todos os resultados, sem precisar de mais etapas”, exclama, aliviada.

Por todos esses reconhecimentos pelos mais de 30 anos atuantes, o Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (CREMEB) deu a honraria para a médica. O CREMEB segue desempenhando, assim, um papel fundamental na regulação e fiscalização do exercício da medicina no estado, assegurando o cumprimento dos mais altos padrões éticos e profissionais.

Com uma equipe composta por mais de 70 médicas especialistas, Dra. Anna Paola lidera o atendimento de mulheres para outras mulheres e o check-up por faixa etária, incluindo nutricionistas e diversos profissionais em sua clínica. “Nosso objetivo é proporcionar às nossas pacientes um ambiente acolhedor e seguro, onde elas possam receber atenção médica de qualidade e se sentir empoderadas para cuidar de sua saúde”, destaca a especialista.

Ao comentar sobre a importância da posse na Câmara Técnica do CREMEB, Dra. Anna Paola ressalta: “É uma grande honra e responsabilidade representar meus colegas médicos nessa instância tão relevante. Estou comprometida em contribuir para o aprimoramento da prática médica e para a defesa dos interesses da população, especialmente das mulheres”, conclui.

Continue lendo
Propaganda

Destaque