Conecte-se Conosco

Negócios

Neemias Souza lidera resistência contra terceirização da Fundação Casa

Publicado

em

Trabalhadores unem-se ao líder sindical na luta contra privatização da instituição socioeducativa

No estado de São Paulo, os funcionários da Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente, conhecida como Fundação Casa, vivenciam um período de inquietação devido à ameaça iminente de privatização da instituição. O crescente fechamento de unidades e as transferências compulsórias para localidades distantes têm suscitado preocupações significativas entre os trabalhadores.

O fechamento de unidades é parte do plano do governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, visando a privatização da Fundação com as Parceiras Público-Privadas (PPP), gerando desconforto e apreensão entre os trabalhadores, oprimidos com transferências compulsórias, até mesmo para outras cidades, afetando suas próprias vidas e as de suas famílias.

A Fundação Casa é o órgão responsável por executar as medidas socioeducativas de regime fechado (internação e semiliberdade) em todo o estado, seguindo as diretrizes dispostas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e no Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase). Atualmente, cerca de 6 mil profissionais atuam no Estado, dedicando-se à nobre missão de reabilitar jovens infratores, preparando-os para uma reintegração bem-sucedida à sociedade após o cumprimento da medida socioeducativa. Para isso, implementam programas educacionais, capacitação profissional, atividades culturais, esportivas, de lazer e assistência psicossocial. Assim, o plano do governador traz um retrocesso ao colocar em risco a reeducação desses jovens.

A política de fechamento de unidades tem acarretado aos trabalhadores desafios suplementares, tais como preocupações com a segurança e o esgotamento físico e mental. Neemias Souza, líder sindical e defensor dos direitos dos trabalhadores, tem uma trajetória marcada por 23 anos de serviço na Fundação Casa. Recordando os períodos de resistência, como em 2005, quando mais de mil funcionários foram dispensados de forma unilateral, Neemias afirma que a mobilização desempenhou papel fundamental na readmissão desses profissionais pela via judicial.

Preocupados com a possível terceirização, que pode colocar milhares de empregos em risco, os servidores da Fundação seguem em busca de garantias para seus postos de trabalho, especialmente diante dos recentes fechamentos de unidades no interior e do programa de demissão voluntária proposto aos trabalhadores.

Neemias explica que, para resistir e defender o direito dos trabalhadores e a preservação do respeito e dignidade no ambiente de trabalho, a mobilização, a união e a dedicação dos trabalhadores revelam-se cruciais. “Para o trabalhador, somente a luta garante direitos e defende conquistas”, destaca. O tema tem monopolizado sua agenda no processo eleitoral no sindicato da categoria, SITSESP, cujas eleições estão agendadas para o período de 18 a 22 de março.

A renovação da gestão sindical é amplamente defendida pelos trabalhadores, que se veem confrontados com tentativas de obstrução do registro da chapa 2, que se opõe a privatização da Fundação Casa, por meio de manobras jurídicas. Contudo, uma liminar concedida garantiu à Chapa 2 o direito de participar do pleito, destacando a relevância deste momento para toda a categoria.

Para mais informações sobre Neemias Souza e suas propostas, acesse https://www.souchapa2.com.br/

Continue lendo
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Negócios

Especialista em redes sociais e executiva Camila Silveira vai palestrar sobre como se tornar milionário no digital

Publicado

em

De

A empreendedora marca presença no treinamento “PMVC 2024: O Melhor Evento de Merecimento do Brasil”, que acontece em Guarulhos de 24 a 26 de maio

A executiva, apresentadora e especialista em redes sociais Camila Silveira apresentará a palestra “Como Empreendedores Tradicionais Podem Ser Empresários Milionários no Digital” no Treinamento PMVC (Potencializando a Mulher em Você). O evento, que está no terceiro ano consecutivo, acontece no Hotel Mônaco Guarulhos, em Guarulhos, de 24 a 26 de maio, e é considerado o melhor treinamento de merecimento do Brasil, focado em ajudar mulheres a destravarem sua mentalidade e comportamentos para alcançar o sucesso pessoal e empresarial.

Camila Silveira compartilhará insights valiosos e estratégias comprovadas para transformar negócios tradicionais em sucessos digitais. O treinamento é ministrado pela mentora e treinadora Priscila Guskuma, fundadora do PMVC, que está à frente deste projeto inspirador. Priscila é reconhecida por seu trabalho dedicado ao empoderamento feminino, ajudando mulheres a superar medos e bloqueios para criar a vida ideal.

O tema central da iniciativa é “Merecimento – A Base para o Sucesso na vida e nos negócios”

Destaques do Treinamento PMVC 2024:

Neurociência e Física Quântica para o Sucesso: Aplicações práticas dessas ciências para transformar sua mentalidade e potencializar seus resultados

Constelação Sistêmica: Ferramentas poderosas para compreender e resolver questões profundas que influenciam sua vida e negócios.

Liderança: Desenvolva habilidades essenciais para liderar com confiança e eficácia em qualquer ambiente.

Posicionamento nas Redes Sociais: Estratégias para destacar-se no mundo digital e construir uma presença autêntica e influente.

Vendas: Técnicas avançadas para impulsionar seus resultados de vendas e conquistar novos mercados.

Inscrições:

As inscrições estão abertas e as vagas são limitadas. Para garantir sua participação, visite o site oficial do evento https://pmvc.priscilaguskuma.com.br/ ou entre contato direto com a equipe para garantir uma condição especial: 11 94716-5062
Não perca esta oportunidade de participar do melhor treinamento de merecimento do Brasil. Prepare-se para transformar sua mentalidade, potencializar seus comportamentos e alcançar o sucesso que você merece!

Sobre o PMVC:

O PMVC (Potencializando a Mulher em Você) é uma iniciativa dedicada a empoderar mulheres através de treinamentos e mentorias, ajudando-as a superar medos e bloqueios que impedem o alcance dos resultados desejados. Desde sua criação, o PMVC tem impactado positivamente centenas de vidas, promovendo o desenvolvimento pessoal e empresarial de suas participantes.

Priscila Guskuma I Treinamentos – Palestras Workshop – Coaching
https://www.priscilaguskuma.com.br I E-mail: contato@priscilaguskuma.com.br
11 94716-5062

Continue lendo

negocios

Encontro conecta Brasil e Moçambique

Publicado

em

De

Édem Davanzzo representa o país na Edição da Conferência Anual do Sector Privado (CASP)

Apresentador do Programa Papo em Família, tornou-se referência nacional quando o assunto é empreendedorismo familiar. Édem Davanzzo lidera o movimento O Poder da Família, é o maior empreendedor familiar do país, e já impactou mais de 30 milhões de vidas. Devido a sua influência, o brasileiro foi convidado pela Embaixada Brasileira para representar o Brasil na Edição da Conferência Anual do Sector Privado (CASP), em Moçambique. O evento, que aconteceu nos dias 15 a 17 de maio, teve a participação do Ministério da Indústria e Comércio (MIC) e a Confederação das Associações Econômicas de Moçambique (CTA).

O evento refletiu sobre os progressos e desafios do Pacote de Medidas de Aceleração Econômica e debateu sobre como melhorar as condições do Ambiente de Negócios, para tornar o país mais competitivo. Segundo dados do Ministério da Economia do Brasil, o comércio entre os dois países tem sido considerável. Ainda conforme os dados oficiais mais recentes, até 2020 os investimentos brasileiros em Moçambique somavam US$ 9,5 bilhões (R$ 47,3 bilhões).

Édem, além de representar o empresariado brasileiro também foi um dos palestrantes que compôs o painel, juntamente com autoridades locais, dentre elas o excelentíssimo Embaixador Ademar Seabra. O tema escolhido por ele foi: “Investimentos e Negócios em Ambiente das Medidas de Aceleração Econômica: Desafios e Oportunidades”.

“Que privilégio estar aqui em Moçambique, sendo tão calorosamente recebido pelo nosso embaixador Ademar Seabra, que gentilmente me hospeda na Casa Oficial. Esta visita é um marco para mim, pois representa o compromisso que tenho em conectar nações de forma colaborativa. Não apenas como uma voz na televisão africana, mas como um cidadão dedicado a fortalecer o crescimento econômico de nossos países por meio de conexões e parcerias estratégicas. Que esses dias sejam repletos de oportunidades e conexões significativas, que nos impulsione a trabalhar juntos em prol de um futuro próspero e harmonioso para ambos os países. Que Deus nos abençoe nessa jornada de colaboração e crescimento mútuo”, comenta Édem.

A visita a Moçambique renderá ainda uma série de episódios inéditos do programa Papo em Família (@papoemfamilia.oficial). Com o objetivo de fomentar o empreendedorismo e a visão positiva de investimentos brasileiros em Moçambique.

Sobre Édem Davanzzo:

É empresário bem-sucedido no setor de comunicação, eventos e educação corporativa, fundador da agência Sense_AND e sócio da SME – The New Education.

O Top mind nexialista é perito em solucionar problemas de grandes marcas e empresários, além de ensinar as famílias a usarem técnicas de gestão empresarial no próprio lar para estimular os pais a empreender na família.

Anjo e Astro investidor | Co-fundador do maior movimento de empreendedorismo familiar do Brasil | Apresentador do talk familiar de maior sucesso na TV africana, Papo em Família.

Continue lendo

Negócios

A tragédia já foi. E agora?

Publicado

em

De

Janguiê Diniz – Fundador e presidente do Conselho de Administração do grupo Ser Educacional – Presidente do Instituto Êxito de Empreendedorismo

Impossível não se sensibilizar e chocar com a situação do Rio Grande do Sul, atingido por chuvas sem precedentes que causaram inundações em grande parte do estado, da capital ao interior. A tragédia não aconteceu sem ter sido prevista: relatórios já indicavam a intensificação de eventos climáticos. Foram ignorados. Agora, resta saber: o que será feito daqui pra frente?

Não se trata de apontar culpados, mas de assumir responsabilidades. Neste ponto, todas as esferas do poder público têm responsabilidade solidária. Governos federal, estadual e municipal parecem não ter agido da melhor forma para preparar a região para o que poderia acontecer. Um relatório de 2015, encomendado pelo governo federal, foi considerado “alarmista” por alertar para os eventos que poderiam acontecer; engavetado, acabou perdido. Nada foi feito. Já a gestão do estado, que tem frequentemente enfrentado problemas climáticos, pouco investiu em infraestrutura preventiva. Prefeituras tampouco agiram, embora estas tenham orçamento e possibilidades bem menores de engendrar bons planos de contenção de riscos.

A situação do Rio Grande do Sul reflete um grande mal do Brasil como um todo: trabalhamos de forma reativa, não proativa. Sempre se espera acontecer uma grande catástrofe ou algo chocante para se tomar uma atitude, quando a prevenção é sempre mais barata e proveitosa. Isso se aplica a eventos climáticos, ao crime, à política e à gestão das cidades como um todo. E não é uma catástrofe inédita. Em 1941, o estado foi atingido também por fortes chuvas que causaram mortes e destruição. Matéria do jornal A Época alarmava: “As inundações assumiram proporções verdadeiramente avassaladoras”. A história se repete.

Penso que o trabalho preventivo, por vezes “invisível”, dá menos retorno de imagem do que a ações de reconstrução – estas podem pintar o gestor como um “salvador”. Na conta do marketing político, prevalece a opção mais obscura. E, no meio desse jogo, quem mais sofre é a população, particularmente as camadas de mais baixa renda. São os morros que desabam, as favelas que pegam fogo, as ruas não calçadas que alagam. Reiteradamente vemos esses casos, e pouca ou nenhuma solução é dada.

Já passou da hora de gestores públicos tomarem consciência de que passamos por um período de grandes mudanças climáticas (em boa parte, causadas pela ação humana) e que, com elas, é preciso estar preparado. A chuva virá, os ventos soprarão, mas, se as cidades não tiverem estrutura para suportar, a contagem de mortos apenas aumentará e os prejuízos serão enormes. A pergunta é clichê, mas permanece válida: quantas vidas mais precisarão se perder para que se tome atitude?

Continue lendo
Propaganda

Destaque