Conecte-se Conosco

Lifestyle

Pesquisa mostra que equilíbrio entre vida pessoal e profissional é prioridade para 63% das brasileiras

Publicado

em

Entrevistados também elencaram que, além do salário, fazer o que se gosta é um dos principais objetivos no trabalho

Janeiro 2024 – No mundo profissional contemporâneo, as perspectivas sobre trabalho e vida pessoal estão passando por uma transformação. À medida que as pessoas se movem em direção a uma era onde a realização individual é tão valorizada quanto a remuneração financeira, surge uma nova abordagem para a definição de sucesso no ambiente corporativo.

Nesse contexto, a EBAC (Escola Britânica de Artes Criativas e Tecnologia) fez uma pesquisa* para compreender esse cenário em constante evolução. Para 63% das mulheres, o equilíbrio entre as vidas pessoal e profissional é uma prioridade. Esse número supera a média nacional (58%), sinalizando uma mudança fundamental nas abordagens de cada um, seja no trabalho ou em outras esferas da vida.

Interesses pessoais são os principais motivadores

A estudante Fernanda Fonseca é um exemplo nesse contexto. Aos 39 anos e mãe de um bebê, ela está passando por uma transição de carreira. Formada em nutrição e com experiência em laboratórios, depois de participar de um evento online gratuito, começou a cursar Figma, encontrando paixão nesta nova área.

Fernanda relata: “O desafio atual é equilibrar o tempo entre cuidar do meu filho e me dedicar aos estudos e trabalho. Já me sinto muito mais realizada agora que tenho essa possibilidade e estou estabelecendo uma rotina diária para me preparar para futuras oportunidades profissionais.” Fernanda reconhece as dificuldades do mercado junto à maternidade, mas está focada em se aprimorar constantemente.

A estudante aconselha outras mães em transição de carreira a trabalhar com o que amam, equilibrar estudos com a rotina diária, buscar apoio e ver os filhos como motivação para avançar profissionalmente, visando o futuro deles.

Bárbara Miranda Teixeira, Head de Educação e Qualidade da EBAC destaca “Os desafios únicos que as mulheres enfrentam desempenhando e gerenciando múltiplas responsabilidades, seja na vida profissional ou pessoal, envolvendo não apenas a maternidade, mas saúde, hobbies e outros projetos pessoais. Conciliar todas as atividades evidencia a necessidade de medidas que apoiem-nas nessa jornada, reconhecendo e valorizando as diversas atribuições que desempenham”.

Fazer o que se ama é principal objetivo da população

Ainda no levantamento, a busca por desempenhar uma atividade que gosta é destaque. Para 66% dos brasileiros, além de ganhar dinheiro, fazer o que se ama é o que eles consideram mais importante no trabalho. O dado revela o desejo por um local corporativo mais alinhado aos interesses pessoais, indicando que a realização profissional pode ir muito além.

O estudo também apontou que 71% dos entrevistados têm a meta de aprender e crescer no ramo corporativo, evidenciando um desejo contínuo de desenvolvimento. Esse movimento não apenas impulsiona o progresso individual assim como contribui para uma área de trabalho mais dinâmica e inovadora.

Ambiente acolhedor é essencial para mais de metade dos entrevistados

O clima positivo da equipe e dos colegas é crucial para 59% dos respondentes, destacando a importância das relações interpessoais. Ademais, a flexibilidade para atuar em qualquer lugar do mundo é um anseio para 52% das pessoas, enquanto 50% consideram a busca por um trabalho fácil e sem estresse um fator fundamental.

“A EBAC compreende a importância de alinhar a formação às paixões individuais e entende que o futuro não é mais apenas sobre carreiras, mas também sobre vidas bem aproveitadas, onde paixão, propósito e profissão se entrelaçam em uma narrativa única de realização”, completa.

Metodologia

A pesquisa foi feita em todo o Brasil e contou com uma amostra efetiva de 1139 participantes, representando diversidade de gêneros, faixas etárias entre 18 e 49 anos e abrangendo diferentes classes socioeconômicas.

Sobre a EBAC

A EBAC é uma instituição de ensino inovadora, que oferece mais de 150 cursos online, com foco em educação continuada e desenvolvimento de competências profissionais nas áreas de Design, Software, Programação & Data, Marketing, Audiovisual, Moda, Games e Negócios, além de uma série de iniciativas que preparam o aluno para a inserção no mercado de trabalho.

Continue lendo

Lifestyle

Auxílio aos enlutados. Como a personal organizer pode ajudar nesse momento tão delicado

Publicado

em

De

Serviço proporciona alívio às famílias

A morte é um tema delicado e muitas vezes evitado no dia-a-dia, como revela uma pesquisa encomendada pelo Sindicato dos Cemitérios e Crematórios Particulares do Brasil (Sincep) e realizada pelo Studio Ideias em 2018. Entre os brasileiros entrevistados, 74% afirmaram não falar sobre a morte no cotidiano. Além disso, a associação da morte a sentimentos difíceis, como tristeza (63%), dor (55%), saudade (55%), sofrimento (51%) e medo (44%), reflete o tabu e a dificuldade em lidar com esse tema tão natural da vida. Apenas uma pequena parcela dos entrevistados faz associação a sentimentos que não estão no campo da angústia, como aceitação (26%) e libertação (19%).

Em momentos de perda, o luto pode ser uma experiência avassaladora para os familiares enlutados. Nesse contexto, a presença de uma personal organizer se destaca como um suporte fundamental. Por meio da organização e destinação cuidadosa dos pertences do falecido, a profissional ajuda a aliviar o peso emocional dos familiares, permitindo que enfrentem o luto de maneira mais tranquila, desempenhado um papel vital no processo de lidar com a perda.

Em uma conversa com José Roberto Campanelli, diretor da rede de franquias Mary Help, ele destacou a importância da profissional nesse contexto sensível. “A morte é um evento que gera um impacto profundo nas famílias, tanto emocional quanto organizacionalmente. Muitas vezes, os familiares estão tão sobrecarregados pelo luto que lidar com as questões práticas se torna ainda mais difícil. É neste ponto que a personal organizer oferece suporte na organização de documentos, objetos pessoais e até mesmo na destinação de pertences à descarte e doações”, explicou.

Para Sheyla Manoel, que recentemente perdeu sua mãe, a ajuda de uma personal organizer foi fundamental. “Eu estava tão perdida no meio de toda essa dor que não sabia por onde começar. A profissional veio e me ajudou a colocar as coisas em ordem, desde os documentos até a organização das lembranças da minha mãe, tudo com muito carinho e respeito. Isso me permitiu vivenciar o processo de luto sem me sentir sobrecarregada”, compartilhou emocionada.

A Mary Help, rede de franquias de intermediação de profissionais para serviços domésticos dispõe, em seu portfólio diversos profissionais, inclusive personal organizer. A rede intermedia a contratação de forma rápida, fácil e ágil, através do site, aplicativo próprio (Android e IOS), whatsapp ou telefone.
Considerando as dificuldades que as famílias enfrentam ao lidar com a morte e os desafios emocionais durante o luto, a atuação da personal organizer torna-se cada vez mais essencial e significativa. Ao fornecer apoio prático e assistência aos entes enlutados, a profissional desempenha um papel crucial na promoção da saúde emocional e na criação de um ambiente favorável para lidar com o processo tão doloroso.

Saiba mais em: https://www.maryhelp.com.br / Instagram: @maryhelp.franchising

Sobre a Mary Help

A Mary Help faz cerca de 700 mil diárias por ano e tem cadastradas mais de 9 mil diaristas preparadas para atender os clientes de forma prática, rápida e segura.

Continue lendo

Lifestyle

Como superar a perda de um ente querido

Publicado

em

De

A perda de um ente querido é uma experiência emocionalmente desafiadora que pode afetar muitos aspectos da vida de uma pessoa, incluindo sua saúde física. Quando essa perda é associada à obesidade, pode haver uma série de fatores interligados que influenciam a saúde e o bem-estar. Aqui estão algumas maneiras pelas quais a perda de um ente querido pode estar relacionada à obesidade:

Estresse emocional: A perda de um ente querido pode desencadear uma intensa resposta emocional, incluindo tristeza, ansiedade, raiva e até depressão. Esse estresse emocional pode desencadear o aumento da produção de cortisol, o hormônio do estresse, que por sua vez pode levar ao aumento do apetite e ao desejo por alimentos ricos em gordura e açúcar, contribuindo para o ganho de peso.

Comer emocional: Muitas vezes, as pessoas recorrem à comida como uma forma de lidar com emoções difíceis, como tristeza, solidão e angústia, em um fenômeno conhecido como comer emocional. A perda de um ente querido pode desencadear esse padrão de comportamento alimentar, levando a episódios de compulsão alimentar e consumo excessivo de calorias, o que pode contribuir para o ganho de peso e a obesidade.

Alterações no estilo de vida: A perda de um ente querido pode desencadear mudanças significativas no estilo de vida de uma pessoa, incluindo alterações na rotina diária, na atividade física e nos hábitos alimentares. Por exemplo, algumas pessoas podem se tornar mais sedentárias ou negligenciar a alimentação saudável enquanto estão lidando com o luto, o que pode contribuir para o ganho de peso.

Isolamento social: O luto muitas vezes leva as pessoas a se isolarem socialmente, seja por escolha própria ou devido ao estigma associado ao luto. O isolamento social pode levar à falta de suporte emocional e social, o que pode aumentar o risco de comer emocional e outros comportamentos alimentares não saudáveis.

Desregulação emocional: A perda de um ente querido pode desencadear uma série de emoções intensas e, às vezes, conflitantes, que podem ser difíceis de lidar. Isso pode levar à desregulação emocional, onde as pessoas têm dificuldade em regular suas emoções e recorrem a comportamentos compensatórios, como comer emocionalmente, como forma de lidar com seus sentimentos.

Em suma, a perda de um ente querido pode estar associada ao desenvolvimento ou agravamento da obesidade devido a uma variedade de fatores interligados, incluindo estresse emocional, comer emocional, mudanças no estilo de vida, isolamento social e desregulação emocional. É importante reconhecer essas conexões e buscar apoio emocional e recursos adequados para lidar com o luto de maneira saudável e promover hábitos alimentares e estilo de vida saudáveis.

DRA. CAROLINA MANTELLI é médica, endocrinologista e metabologista e tem a missão de amenizar a dor física e da alma através do auto resgate.
Criadora do método “Calça Meta”, metodologia criada com o intuito de libertar seus pacientes de amarras de todos os traumas que envolvem o emagrecimento.

@dramantelli

Continue lendo

Lifestyle

Márcia Luz: os 10 benefícios científicos da gratidão

Publicado

em

De

Como adiantando, estou trabalhando com a psicóloga e especialista em gratidão, Márcia Luz, a maior autoridade do país no assunto.
A prática da gratidão não só melhora a nossa saúde mental, como também tem um impacto positivo na nossa saúde física. Estudos mostram que pessoas mais gratas têm maior resistência ao estresse e às doenças.

“A maioria das pessoas confundem o significado da gratidão. Algumas dizem, eu sou uma pessoa grata, toda vez que alguém faz algo por mim e eu agradeço. O nome disso é educação e não gratidão. Outras pessoas dizem, eu sou uma pessoa grata, toda semana vou à igreja e agradeço ou antes de dormir eu agradeço. O nome disso é oração e não gratidão. Educação é muito importante e oração é fundamental, mas nada disso é gratidão. A gratidão é a mudança de olhar. É parar de olhar pros obstáculos e olhar para as oportunidades. Parar de olhar pro que está dando errado e olhar para o que está dando certo. Parar de olhar para as adversidades e olhar para as bençãos. Quando você faz essa mudança de olhar e, como a vida dá mais do mesmo, você vai ter mais motivos para agradecer. Quem só olha pra dívida, tem cada vez mais dívida. Quem só olha pra doença, tem cada vez mais doença. Quem olha mais pra solidão, tem cada vez mais solidão. Se você começa escolher a olhar pra prosperidade, para o amor e pra saúde é mais disso que você terá. É aí isso que a gratidão faz por você.” Márcia Luz

10 benefícios científicos da gratidão:

1- Prolonga a vida – porque fortalece o sistema imunológico, reduz risco de infarto, derrame, doenças cardíacas e combate a depressão; 2- desenvolve a espiritualidade – estimula a gratidão, porque permite uma conexão com as forças do alto; 3- ajuda atingir metas – maior disposição para correr atrás dos objetivos e obter resultados dobrados; 4- fortalece o ambiente de trabalho – manifesta gratidão aos colaboradores, conseguindo assim, ter uma equipe motivada e aumentar muito o engajamento; 5- consolida o casamento – a gratidão melhora a qualidade dos relacionamentos quando ela faz parte do feedback do casal, você atinge um novo patamar ao praticar a gratidão ao seu parceiro; 6- melhora o sono – melhora o bem estar e o relaxamento; 7- atenua as dores físicas – quando você tem emoções positivas a partir da gratidão, você aumenta a endorfina, um neurotransmissor que é um analgésico natural; 8- aumenta a felicidade – ao praticar a gratidão, a ocitocina e a endorfina são liberadas, ambos os hormônios influenciam diretamente na felicidade; 9- constrói laços verdadeiros -nos torna mais sociáveis e empáticos ; 10- aumenta prosperidade financeira, ativa a lei da atração e faz de você um ser humano melhor.

CONHEÇA A EMBAIXADORA DA GRATIDÃO:

Márcia Luz também é conhecida como a “ embaixadora da gratidão”, são 800 mil alunos que, por meio de cursos online, mentorias e eventos presenciais , mudaram o foco dos pensamentos e a maneira de enxergar os acontecimentos da vida. Até mesmo, aqueles mais desafiadores.

No decorrer dos anos, pesquisas e estudos focaram esforços para compreender o poder da gratidão. E mostraram resultados realmente positivos em diferentes áreas.

Saúde, bem – estar e relacionamentos foram as partes beneficiadas com a prática da gratidão. As descobertas no decorrer de décadas permitiram entender como ser grato pode realmente modificar nossa vida, e como todos nós podemos praticar a gratidão em nosso dia a dia e colher seus benefícios.

Marcia Luz explica sobre isso, além de ensinar exercícios para a telespectadora/ ouvinte, colocar a gratidão em prática no dia a dia.

https://www.instagram.com/marcialuz.oficial?igsh=MWd0bjNvbWgzeGRwNw==

SOBRE MÁRCIA LUZ:

Com 32 anos de carreira na área de Desenvolvimento Humano, Marcia Luz é Psicóloga, Pós-graduada em Administração de Recursos Humanos, especializada em Gestal-terapia, Mestre em Engenharia de Produção, Coach Executiva e Pessoal, Palestrante e Doutora em Filosofia da administração formada pela Florida Christian University (FCU) nos Estados Unidos, onde pode defender uma tese de Doutorado sobre a Gratidão.

Dedicou o início de sua carreira aos treinamentos em grandes empresas e multinacionais. Mas com o objetivo de impactar mais vidas com seu conhecimento e a metodologia da gratidão, entrou para o mundo online em 2013, hoje ela já possui mais de 800 mil alunos e uma audiência de mais de 3 MILHÕES de pessoas.

É Autora dos livros “Lições que a vida ensina e a arte encena”, “Outras lições que a vida ensina e a arte encena”, “Construindo um futuro de sucesso”, “Coach Palestrante”, “Coach da Gratidão Financeira” do best seller “Agora é pra valer e toda coleção dos livros “A Gratidão Transforma”, “A Gratidão Transforma sua Vida Financeira”, “A Gratidão Transforma seus Pensamentos”, “A Gratidão Transforma sua Saúde”, “O Milagre da Gratidão” e “Minuto da Gratidão”.

Continue lendo
Propaganda

Destaque