Conecte-se Conosco

Ciência

Por que o Brasillidera no ranking de violência doméstica?

Publicado

em

Ouvi de um Policial certa vez que se fosse prender todo homem que agride uma mulher no Brasil, não teria espaço na cadeia para os demais crimes, e o tom foi de deboche”

Sempre batemos na mesma tecla quando o assunto é falar de violência doméstica, mas hoje, vamos um pouco mais além, vamos na chave do problema. Veja bem caro leitor, não queremos aqui causar uma revolução no matrimônio moderno, mas sim explicar que certas praticas são abusivas e antiquadas aos dias de hoje, sem falar que muitas delas são CRIMES.

Proibir uma mulher de ter o próprio sustento, realizar seus estudos, é crime. Violência patrimonial, diminuir, ameaçar, humilhar, intimidar, coagir, ridicularizar, manipular, ou quaisquer atitudes que deixe a vítima com medo, é violência psicológica. Ofender em público, ou na internet, é crime. Violência moral, perseguir em ruas ou via internet é crime, stalking é o nome desse crime. E por fim, agredir, submissões físicas, puxões, empurrões, imobilização, etc. é crime, o mais grave de todos: violência física. Exigir da parceira atos sexuais aos quais ela não permite, forçar relações sexuais, se negar a usar preservativos, exposição da ou à nudez, também é crime, violência sexual.

Mas geralmente isso tudo vem em um grande combo, e sempre, independente da forma com que ocorre, isso parte de um RELACIONAMENTO ABUSIVO. Mas bom, o que isso tem a ver com as estatísticas que mostram que nosso país ainda infelizmente lidera nos boletins de ocorrência? Denúncias? E estatísticas de feminicídio? A resposta é a cultura, fato é, e verdade seja dita, o fator cultural ainda é grande denominador comum a essa prática absurda. Ainda nos dias atuais presenciamos pais ensinando suas filhas a não questionar e a sempre “obedecer” o marido, vemos isso claramente em outros países aonde a mulher é vista como algo totalmente submisso em total servidão ao marido. Muita gente vai deixar de ler essa parte mas em alguns lugares o maior desencadeador dessa cultura é a falta de instrução e a fé cega em doutrinas religiosas diversas, e mudar uma cultura de um país, um estado, cidade ou até mesmo bairro é algo extremamente lento e complexo. de se convir que em relação ao passado estamos evoluindo e tendo melhorias, mas ainda falta e muito. Precisa ser debatido, difundido em escolas, no cotidiano, na TV, internet, rodas de conversas, não temos que falar apenas da violência temos que prevenir, e a melhor forma de prevenção é o dialogo. RELAÇÕES TÓXICAS MATAM, tudo que começa mal tende a acabar pior, não é por que seus pais, avós viveram uma relação 20, 30, 50 anos que essa relação foi boa, a maioria das vezes ambas as partes têm traumas, problemas que nunca sequer foram externados por que a “sociedade” impôs a eles esse modelo de relação perfeita que claramente é uma utopia. O amor não mata, não proíbe, não agride, se está passando por isso fuja, não é amor.

Você mulher, esteja passando por qualquer tipo de violência não se cale DENUNCIE. Disque 180 Central de Atendimento à Mulher.

POR: CAROLINA VALLER BALDIN. ATIVISTA PELO DIREITO DAS MULHERES.

Instagram: @carol_valler

Facebook: Carolina valler baldin

Continue lendo
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Beleza

1º FESTIVAL DE CINEMA DE XERÉM ANUNCIA OS FILMES SELECIONADOS.

Publicado

em

De

27 curtas-metragens de sete estados brasileiros concorrem ao Troféu Zeca Pagodinho

Evento acontece   08 a 11 de maio | Gratuito .

O Festival de Cinema de Xerém anuncia os selecionados de sua primeira edição, que acontece de 08 a 11 de maio, no Centro de Convenções John Wesley, em Xerém, Duque de Caxias (RJ). Ao todo, foram escolhidos 27 curtas-metragens de sete estados brasileiros (RJ, PR, SP, DF, BA, PE, ES), sendo 12 filmes dirigidos por mulheres.

 

As mostras competitivas Cinema Leva Eu, Fluminense e Baixada de Curtas, Nacional de Curtas, e Mostra Especial da Crítica, irão premiar com o Troféu Zeca Pagodinho as seguintes categorias: Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Roteiro, Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte, Melhor Montagem, Melhor Atriz, Melhor Ator. Os filmes selecionados para as mostras concorrerão também na categoria Júri Popular e ao Prêmio Edna Fujii, este último dará ao vencedor um prêmio de  R$10 mil em locação de equipamentos.

 

Na Mostra Cinema Leva Eu foram selecionados 10 curtas produzidos por alunos formados pela Escola Brasileira de Audiovisual (EBAV). São eles: 9 Horas em Deodoro, de Dorgo DJ, Carnaval Caos, de João Pedroza, Dandara, de Felipe Coelho, Fnm – A Vila de Operários, de Maria Carolina Gomes, Na Risca, de Mozá, Ninguém Via, de Gabriel Leal , Odisseia Fluminense, de Mateus Carvalho, Pé de Cabra, de Bruno Santiago, Quem Faz o Rio, de Victória Dias, Uma Questão de Ética, de Marcelo Ribeiro

 

A Mostra Fluminense e Baixada de Curtas traz quatro títulos que exploram temáticas sociais, pessoais e cômicas feitas por realizadores da Baixada Fluminense. Os selecionados são Caxiense F.C., de Marcos Faria, Elas Por Elas, de Renata Silva, Minha Vida É Uma Série, de Taisa Alves Santos, e Pássaro Memória, de Leonardo Martinelli

 

Cinco filmes que abordam temas variados, como questões sociais, suspense e amizade foram selecionados na Mostra Nacional de Curtas. São eles:  Emerenciana, de Larissa Nepomuceno(PR), Firmina, de Izah Neiva (SP), Ligação Anônima, de Thiago Mendes (SP), a animação Quintal, de Mariana Netto (BA), e Lubrina, de Vinícius Fernandes Gonçalves, Leonardo Vaz Dias Hecht (DF).

 

Já a Mostra Especial da Crítica apresenta uma coleção de oito obras, enfocando uma variedade de temas sociais, culturais como Água Viva, de Gabriela Araujo, Deivison Bruno (RJ), Cartas Para Nossas Netas, de Julia Flor Duarte (RJ), Chamado, de Tulio Beat (PE), Como Matar Uma Boneca, de Alek Lean (RJ), Divina, de Flaviane Damasceno (RJ),  Emaranhadas, de Lara Sartório Gonçalves, Mariana Souza Costa (ES),  Rei Davi, de Misa Gonçalo (RJ), e Vermelho-oliva, de Nina Tedesco (RJ)

O festival contará também com uma programação diversificada, incluindo exibições de filmes dos homenageados desta edição, a atriz Regina Casé e o cineasta Hsu Chien, além de uma oficina, masterclasses e encontros com realizadores. Estas ações contribuem para o desenvolvimento e fortalecimento do cenário audiovisual brasileiro, sobretudo para a Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro.

 

Com a direção geral de Sérgio Assis, direção executiva de Emerson Rodrigues e direção de programação de Monica Trigo, o festival é uma realização da EBAV (Escola Brasileira de Audiovisual) em parceria com o Instituto Zeca Pagodinho. Apoio da Naymovie, Rádio Serra Verde 98,7 FM e Telecine. Apoio cultural da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura de Duque de Caxias.

 

Serviço:

 

1º Festival de Cinema de Xerém

De 08 a 11 de maio

Local: Centro de Convenções John Wesley – Av. Venância, 17 – Xerém, Duque de Caxias – RJ| Gratuito

www.festivaldexerem.com.br

 

Continue lendo

Ciência

Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo apresenta a 2ª edição da mostra “Mulheres Mágicas: reinvenções da bruxa no cinema” A mostra acontece de 6 de abril a 5 de maio e traz 28 títulos, debates com especialistas e uma oficina gratuita.

Publicado

em

De

Com o intuito de investigar a maneira que a figura da bruxa foi construída ao longo da história do cinema, o Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo apresenta a 2ª edição da mostra “Mulheres Mágicas: reinvenções da bruxa no cinema”. A nova edição do evento acontece entre os dias 6 de abril e 5 de maio e conta com 28 filmes, debates com especialistas e uma oficina gratuita. Os ingressos serão vendidos a preços populares.

Com curadoria de Carla Italiano, Juliana Gusman e Tatiana Mitre, a programação passa por diferentes gêneros, entre ficção, documentário, experimental e performance de países, como Alemanha, França, México, Reino Unido, Rússia, Estados Unidos, Brasil e outros. Os filmes estão agrupados em dois eixos temáticos:  “A bruxa através dos tempos: imagens clássicas” e “Bruxas contemporâneas: corpos indomáveis, saberes ancestrais”. O primeiro revisita o imaginário clássico das bruxas, enquanto o segundo apresenta reinvenções contemporâneas, com destaque para obras de cineastas mulheres e perspectivas feministas.

O primeiro eixo da programação conta com títulos como A Paixão de Joana D’arc (1928), um dos principais filmes do cinema mudo, e Casei-me com uma Feiticeira (1942), do renomado diretor René Clair, e A Bruxa (2015), que se destacou em várias premiações independentes. A intenção desse segmento é mostrar os tropos que formaram o arquétipo da bruxa no cinema. Por sua vez, o segundo eixo busca reunir filmes que expandem a ideia de mulheres mágicas e apresentam perspectivas críticas. Entre eles estão os longas Retrato de uma jovem em chamas (2019), vencedor do prêmio de Melhor Roteiro no Festival de Cannes e Orlando, Minha Biografia Política, adaptação de uma das obras mais conceituadas da escritora inglesa Virginia Woolf. Durante as quatro semanas, haverá ainda sessões de filmes infantis, como o clássico Branca de Neve e os Sete Anões (1937), O serviço de entregas da Kiki (1989), e Malévola (2014).

Para as curadoras, uma das inspirações para a mostra é o trabalho de Silvia Federici, autora que se debruçou sobre as origens da histórica perseguição às mulheres. “Em suas obras, a escritora analisa como a caça às bruxas resultou na marginalização de mulheres que não se encaixavam nos padrões de feminilidade”, observam.

A Sessão de Abertura acontece no dia 06/04, às 16h, com a exibição de A Praga (2021), filme póstumo de José Mojica Marins, o lendário Zé do Caixão, um dos maiores nomes do horror brasileiro de todos os tempos. Este filme havia sido dado como perdido até que parte dos seus negativos foi localizada. A sessão do filme é acompanhada do curta-documentário A última praga de Mojica, de Cédric Fanti, Eugenio Puppo, Matheus Sundfeld e Pedro Junqueira, que esmiúça os processos de criação do último longa de Mojica, e de um debate após a sessão, com a crítica Júlia Noá e com mediação da curadora Carla Italiano.

Durante o evento também serão realizados mais dois debates e uma oficina gratuita, todos presenciais. No dia 18/04, haverá a mesa redonda “Reencantando o mundo”, conduzida por Glênis Cardoso, Sophia Pinheiro e Mariana Queen Nwabasili, com mediação de Juliana Gusman, e no dia 25/04, a curadora Tatiana Mitre falará sobre os filmes A Fada do Repolho, de Alice Guy(1896/1900) e  Branca de Neve e os Sete Anões (1937).

Já a oficina, intitulada “Perambulando nas sombras encantadoras: segredos da bruxaria no cinema de horror contemporâneo”, será ministrada pela estudiosa Laura Cánepa e acontecerá em 20/04 (sábado), às 14h. As inscrições devem ser realizadas previamente em bb.com.br/cultura.

 

ONLINE PARA TODO BRASIL

 

A 2ª edição da mostra “Mulheres Mágicas: reinvenções da bruxa no cinema” também contará com uma programação online, disponível para todo Brasil, de 26 de abril a 05 de maio, com os filmes Rami Rami Kirani, de Lira Mawapai HuniKuin e Luciana Tira HuniKuin (2024) e Para sempre condenadas, de Su Friedrich (1987), disponível gratuitamente no site www.mulheresmagicas.com.

 

A primeira edição da mostra foi realizada no ano de 2022, em formato híbrido, no Centro Cultural Banco do Brasil de Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro. A iniciativa contou com debates temáticos gratuitos e quatro sessões comentadas, todas disponíveis no Youtube (Canal Mostra Mulheres Mágicas).

Ao realizar este projeto, o Centro Cultural Banco do Brasil reafirma o compromisso de ampliar a conexão do brasileiro com a cultura e com a promoção do acesso à produção cinematográfica nacional e internacional.

SERVIÇO

Mostra “Mulheres Mágicas: reinvenções da bruxa no cinema”

 

Local: Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo

 

Período: 6 de abril a 5 de maio DE 2024

 

Ingressos: R$10 inteira / R$5 meia, disponíveis em bb.com.br/cultura e na bilheteria física do CCBB SP

 

Classificação indicativa: de Livre a 16 anos (consultar programação)

 

Endereço: Rua Álvares Penteado, 112 – Centro Histórico – SP

 

Funcionamento: aberto todos os dias, das 9h às 20h, exceto às terças-feiras

 

Informações: (11) 4297-0600

 

Estacionamento: O CCBB possui estacionamento conveniado na Rua da Consolação, 228 (R$ 14 pelo período de 6 horas – necessário validar o ticket na bilheteria do CCBB). O traslado é gratuito para o trajeto de ida e volta ao estacionamento e funciona das 12h às 21h.

Transporte público: O CCBB fica a 5 minutos da estação São Bento do Metrô. Pesquise linhas de ônibus com embarque e desembarque  nas Ruas Líbero Badaró e Boa Vista.

Táxi ou Aplicativo: Desembarque na Praça do Patriarca e siga a pé pela Rua da Quitanda até o CCBB (200 m).

Van: Ida e volta gratuita, saindo da Rua da Consolação, 228. No trajeto de volta, há também uma parada no metrô República.  Das 12h às 21h.

Entrada acessível: Pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida e outras pessoas que necessitem da rampa de acesso podem utilizar a porta lateral localizada à esquerda da entrada principal.

 

bb.com.br/cultura

instagram.com/ccbbsp | facebook.com/ccbbsp

E-mail: ccbbsp@bb.com.br

SITE E REDES DA MOSTRA

www.mulheresmágicas.com

Canal Youtube Mostra Mulheres Mágicas: https://www.youtube.com/channel/UCLyLzFaBcGSLHC-p8FAV1rg

Instagram: @mostramulheresmagicas/ https://www.instagram.com/mostramulheresmagicas/

Facebook: @mostramulheresmagicas / https://www.facebook.com/mostramulheresmagicas

Twitter: @mostramulheresmagicas

Continue lendo

Ciência

5 principais benefícios de contratar um assistente virtual

Publicado

em

De

Se você é proprietário de uma empresa, lidar com tarefas administrativas diárias é algo que muitas vezes é esquecido. 

 

Algumas tarefas são adiadas para mais tarde e muitas são até esquecidas. Isso pode resultar em uma variedade de problemas relacionados à empresa. 

 

Com a ajuda da assistência virtual, sua empresa pode funcionar sem problemas em segundo plano enquanto você se concentra no quadro geral. 

 

1. Você economizará muito tempo

 

Desde a rotina diária de processamento de faturas até lucros e perdas , tarefas como essa podem matar o tempo real. Com a ajuda de um assistente virtual, você poderá liberar um pouco do seu precioso tempo. 

 

Nos negócios, tempo é dinheiro. É por isso que ter alguém disponível para cuidar do back-end pode ser tão benéfico. Treine seu assistente virtual e mostre a eles todos os detalhes do seu negócio. 

 

Depois de desenvolver um relacionamento e se sentir confiante de que eles conhecem as cordas, você pode concentrar sua atenção em outras coisas, como crescer e operar seus negócios.

 

2. A assistência virtual economiza dinheiro

Como o termo assistente virtual  significa literalmente que eles o ajudarão remotamente, você poderá economizar muito dinheiro em custos indiretos.

 

A maioria dos assistentes virtuais trabalha em sua própria casa, o que significa que você não precisará pagar por espaço de escritório adicional, café da manhã ou material de escritório junto ao um endereço fiscal para recebimento de correspondencia

 

E, como a maioria é considerada trabalhadora contratada, você provavelmente também não terá que pagar por outros extras caros, como benefícios. 

 

 

3. A produtividade aumentará

Algumas das funções dos assistentes virtuais incluem coisas como gerenciar seu e-mail e acompanhar planilhas. 

 

Tarefas diárias como entrada de dados, atendimento de chamadas telefônicas, comunicação com fornecedores, clientes e folha de pagamento se traduzem em melhor produtividade para você.

 

Depois de contratar um VA confiável, você pode aproveitar a capacidade extra de se concentrar no crescimento. Liberar tempo significa que você também liberará seus recursos, e isso é ótimo para todos. 

 

Um bom assistente virtual também deve ser capaz de apontar áreas em que você pode ser mais produtivo e economizar tempo que pode não estar ciente.

 

Conheça o Coworking Ribeirão Preto.

 

4. A política do escritório é eliminada

 

Estamos todos familiarizados com a temida política de escritório que pode acontecer durante o dia-a-dia. 

 

Com um assistente virtual, não há necessidade de se preocupar com o potencial e temido conflito entre colegas de trabalho.

 

Eles podem trabalhar em casa, o que significa que ficarão felizes e você não precisará se preocupar com o fato de eles se darem bem com outros funcionários.

 

5. Flexibilidade 

Ao escolher um assistente virtual, procure alguém que possa manter contato com você mesmo fora do horário normal de trabalho.

 

Se o seu assistente virtual estiver trabalhando em casa, é mais provável que ele esteja “de plantão” para você, mesmo que isso signifique fazer uma ligação tarde da noite ou responder a um e-mail nas primeiras horas da manhã. 

 

Essa flexibilidade é especialmente valiosa se você administra um negócio muito agitado e precisa de alguém que possa realizar tarefas rapidamente.

Continue lendo
Propaganda

Destaque