Conecte-se Conosco

negocios

Dia Mundial da Água: conheça a técnica de hidroponia “floating”, capaz de economizar até 99% de água em cultivos do agro

Publicado

em

Em 22 de março é celebrado o Dia Mundial da Água. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1992, com o intuito de que toda a comunidade internacional coloque em pauta questões essenciais que protejam os recursos hídricos e promova o uso consciente da água em âmbito global. E o relatório da FAO/ONU é claro: se o agronegócio não inovar no uso da água, a escassez do recurso será inevitável. O agro é responsável por cerca de 70% do uso de água doce em todo o mundo e nesse cenário, a Verdureira, empresa pioneira em saladas prontas para consumo, inova com o uso de hidroponia em floating para um agro mais sustentável.

Há quatro anos, a Verdureira, empresa pioneira em saladas prontas para consumo no Brasil, evoluiu seu negócio e se tornou uma agroindústria. Ao internalizar os processos produtivos e introduzir a hidroponia NFT (Nutrient Film Technique) como forma de cultivo das hortaliças, a marca cresceu e atraiu investimentos. Mas, os sócios entenderam que era preciso continuar inovando em busca de mais produtividade, devido à fragilidade da cadeia produtiva e as crises de abastecimento, e apostaram na técnica DWC (Deep Water Culture), mais conhecida no Brasil como “floating”, atualmente em operação em sua sede em São Roque (SP). Nos próximos meses, a Verdureira será capaz de produzir 39 toneladas de hortaliças por mês, em 16 piscinas, consumindo apenas 1% de água utilizada no cultivo convencional e produtividade 12,5 vezes maior.

É a primeira vez que o floating é aplicado em uma produção de grande escala no Brasil. Embora já existam poucos e pequenos experimentos no país, os sócios da Verdureira decidiram ir para a Holanda, em 2022, onde buscaram um benchmark para aprender o manejo correto. Depois da experiência com os holandeses, que são referência mundial em cultivo protegido, entenderam que as tecnologias utilizadas lá não existiam no Brasil e os custos eram inviáveis para a importação. Diante disso, o caminho foi desenvolver do zero todos os maquinários e aparatos tecnológicos necessários.

“Sabíamos que era um desafio, mas estávamos dispostos a aprender mais, testar e arriscar, pois acreditávamos que seria um divisor de água para o negócio e também para o agro brasileiro. Agora, produzimos mais, com menos esforços e recursos, além de oferecer um produto com mais qualidade para o consumidor”, explica Ari Rocha, sócio e CEO da Verdureira.

A técnica de hidroponia DWC (Deep Water Culture), mais conhecida como floating, consiste no cultivo em piscinas, onde as hortaliças são plantadas em placas que ficam sobre a água. Embora pareça algo simples, os desafios vão desde a criação das placas ideais, onde as hortaliças ficam bem-posicionadas, até a oxigenação da solução nutritiva. Se na hidroponia NFT (Nutrient Film Technique), as verduras ficam em canaletas e recebem os nutrientes via lâminas d’água, no DWC as raízes ficam inteiramente imersas na piscina.

Os testes foram realizados em uma primeira piscina, de 54 mil litros, construída em 2021 exatamente para esse fim. Diante dos desafios, viram a necessidade de aprofundar mais no processo e, após benchmarks especializados, incluindo a viagem à Holanda em 2022, introduziram novas técnicas e práticas, além de conceber as máquinas e tecnologias empregadas para o cultivo.

Em 2023, tudo foi aprimorado até a Verdureira chegar ao modelo ideal. Cada detalhe foi levado em consideração, as placas flutuantes com espessura, materiais e bolsões foram moldadas pela empresa, até mesmo a cor das lonas utilizadas no procedimento é capaz de impactar o resultado e percebeu-se a importância de manter o nível de oxigenação na solução nutritiva. Para isso foi desenvolvida de forma inédita uma estação de tratamento de água que mantém a solução nutritiva sempre balanceada.

A peça que faltava para o sucesso da empreitada foi descobrir como injetar oxigênio na solução utilizando nanobolhas no processo. Tudo mudou quando a Verdureira conheceu Oliver Povareskim, da Nanobiologic, que embora não utilizasse nanobolhas para esse fim, estava disposto a desenvolver e testar. São essas nanobolhas de oxigênio que favorecem a saúde da solução nutritiva para o floating da Verdureira. Dessa forma, além de promover o ambiente propício para o crescimento das hortaliças, não é necessário desperdiçar água na troca da solução nutritiva. Se na hidroponia NFT há a economia de 90% de água em comparação ao cultivo tradicional no solo, no floating a economia estimada é de 99%, o que torna o método ainda mais sustentável.

“Além de utilizar menos água ao longo do processo, garantimos maior produtividade. No caso da hidroponia NFT, produzimos cinco vezes mais e agora a produção é 12,5 vezes maior com o floating. As hortaliças são maiores, mais resistentes e nutritivas”, ressalta Thiago Rodrigues Silveira, engenheiro-agrônomo responsável pela produção na Verdureira. Atualmente são cultivados os mais diversos tipos de alfaces, como americana, lisa, crespa, roxa, entre outros.

A primeira piscina de floating rendeu uma tonelada de hortaliças no primeiro mês, em teste realizado em junho. Com expertise conquistada e a iniciativa bem-sucedida, foram construídas mais três piscinas, que resultam em mais seis toneladas mensais. Estão em fase de construção mais 12 piscinas, capazes de produzir 32 toneladas, que estarão prontas e em utilização nos próximos meses. A Verdureira produzirá 39 toneladas mensais por meio do método inovador.

Ao dominar as duas técnicas de hidroponia, o NFT e o DWC, a Verdureira ganha em competitividade comercial e pode escolher as melhores estratégias para seus cultivos. As inovações e implantação da nova técnica de DWC, além de expansão da operação em novas regiões, são resultados do recém aporte de R$10,3 milhões, injetados pelo fundo Baraúna Investimentos, na Verdureira.

Atuação em localidades estratégicas

A Verdureira atua em fazendas periurbanas, entre a zona rural e a cidade, possibilitando que a marca coloque sua produção no mercado em até 24 horas após a colheita. Após a colheita, a seleção das hortaliças é artesanal, que permite ainda mais qualidade na produção. As folhas são higienizadas e embaladas com tecnologia de atmosfera modificada capaz de preservar os nutrientes e frescor dos alimentos até o momento do consumo, sem a necessidade de conservantes. Atualmente, a Verdureira está presente nas prateleiras de estabelecimentos de São Paulo e Região Metropolitana, bem como Campinas, Sorocaba e outros municípios adjacentes.

Rastreabilidade que garante a origem e qualidade

A Verdureira desenvolveu um sistema de rastreabilidade das hortaliças por meio de um QR Code disponível nas embalagens, que atende às exigências do Ministério da Agricultura. O objetivo é poder rastrear o processo de produção de produtos in natura, que garante informação sobre o alimento, seu frescor e qualidade de ponta. Dessa forma, o consumidor tem a garantia da origem.

ESG como prioridade

Para além das boas práticas de produção agrícola, que contribuem para a proteção do meio ambiente e a saúde dos consumidores, a Verdureira preocupa-se e investe no desenvolvimento socioeconômico da região onde atua.

Fundada por mulheres em 1995, a Verdureira continua sendo predominantemente feminina: elas formam 90% do quadro de colaboradores. Em sua maioria, essas funcionárias são mães de família residentes das comunidades próximas à empresa.

A Verdureira contribui, ainda, com o programa social Mesa Brasil Sesc, a maior rede de bancos de alimentos da América Latina, referência no combate à fome e ao desperdício de alimentos. A fazenda doa seus excedentes de produção e alimentos fora dos padrões de comercialização, mas em ótimas condições de consumo.

Comprometida com a reciclagem, a Verdureira tem parceria com a EuReciclo, empresa especializada em logística reversa. Assim, o equivalente a 100% dos plásticos e papéis empregados nas embalagens são compensados – cerca de 9 toneladas de material ao ano.

Continue lendo

negocios

Celebrando o mês das noivas: a importância do bolo de casamento e a arte do cake Design

Publicado

em

De

Curso oferece formação adequada para atuar nesse promissor mercado

Maio é um mês marcado por amor e celebrações, pois é tradicionalmente conhecido como o “mês das noivas”. Neste período, os casais planejam cada detalhe de seu grande dia e um elemento essencial que não pode faltar é o bolo de casamento. Por trás dessas obras de arte está a habilidade e criatividade do cake design, profissionais que transformam sonhos em realidade.

Mais do que uma simples sobremesa, o bolo de casamento é um símbolo de união e amor entre o casal. Desde tempos antigos, ele tem sido uma peça central nas festividades matrimoniais, muitas vezes decorado com símbolos de sorte e prosperidade.
Selecionar o bolo de casamento perfeito é uma tarefa que demanda tempo e cuidado. Os noivos desejam que o bolo reflita sua personalidade e estilo, além de harmonizar com o tema da cerimônia. Aqui é onde entra o talento do cake design, profissionais eficientes da confeitaria.

O cake design é uma arte que combina habilidades técnicas com criatividade. Profissionais dessa área dominam técnicas de confeitaria avançadas para criar bolos que impressionam não apenas visualmente, mas também pelo sabor.

“O bolo de casamento é uma parte importante e precisa ser pensado em todos os detalhes” relata Glaucio Athayde, CEO do Instituto Gourmet Brasil.

O Instituto Gourmet destaca-se como a maior rede de franquias especializada em cursos de gastronomia no Brasil. A instituição oferece uma oportunidade única para empreendedores aprimorarem suas habilidades e transformarem sua paixão em uma carreira de sucesso. Dentre os cursos oferecido pela rede está o Cake Designer, que abrange desde técnicas básicas até avançadas. Com isso, os participantes adquirem o conhecimento necessário para criar bolos e doces impressionantes e deliciosos. “No decorrer do curso, são ensinadas todas as técnicas essenciais para que os profissionais possam se destacar nesse segmento”, conclui Glaucio.

Para saber mais acesse: https://institutogourmet.com/cursos/cake-designer/

Continue lendo

negocios

Advogada Gaúcha – Tatiana Tavares Fracasso – lança Canal no YouTube com Conteúdos Jurídicos

Publicado

em

De

Tatiana Tavares Fracasso, advogada gaúcha determinada, aguerrida e forte. Com 47 anos de idade, casada e mãe de três filhos, tem expandido sua atuação profissional de forma significativa nos últimos anos. Formada em Direito pela UNISINOS (Universidade do Vale do Rio dos Sinos) e pós-graduada em Direito Previdenciário pela ESMAFE (Escola Superior da Magistratura Federal de Porto Alegre) e em Direito de Família e Sucessões pela UCS (Universidade de Caxias do Sul), Tatiana tem se destacado na área jurídica, especialmente em Bom Princípio, onde fundou o escritório Tavares e Fracasso Advocacia.

Há mais de 12 anos atuando na profissão, Tatiana sempre demonstrou comprometimento com o direito das mulheres, sendo uma figura ativa no Conselho dos Direitos das Mulheres em sua cidade. No entanto, a advogada resolveu ampliar seus horizontes em 2020, iniciando um trabalho remoto que lhe permitiu atender clientes de todo o Brasil. A pandemia de COVID-19 acelerou essa transição para o mundo digital, uma mudança que Tatiana considera um marco transformador em sua carreira.

“Percebi um mundo de oportunidades e que posso alcançar e ajudar muitas pessoas”, afirma Tatiana. Com essa visão, ela decidiu lançar um canal no YouTube, no qual semanalmente abordará diversas áreas do direito, oferecendo conteúdos práticos e objetivos. “Meu maior propósito é ajudar pessoas, e isso é extremamente gratificante”, explica. A advogada também pretende compartilhar dicas para outros profissionais que desejam se inserir no mundo digital e alavancar suas carreiras.

Tatiana enfatiza que sua profissão lhe permite resolver questões familiares complexas e ajudar clientes a conquistarem a aposentadoria desejada, tanto no âmbito do direito de família quanto no previdenciário. “Sou comprometida com meu trabalho e apaixonada pela minha profissão”, declara.

Para acessar os conteúdos de Tatiana Tavares Fracasso, os interessados podem seguir seu perfil no Instagram @tatianatavaresfracasso (https://instagram.com/tatianatavaresfracasso) e seu canal no YouTube Tatiana Tavares Advogada.

Continue lendo

negocios

“Quem lê e escreve a própria história, voa”, inspira a Economista, Michelle Barbosa

Publicado

em

De

Nesta série de entrevistas que homenageia as mulheres do nosso país, entrevistamos a economista roraimense Michelle de Oliveira Barbosa. Nascida em abril de 1988, lançou recentemente um livro independente voltado para estudantes e pesquisadores. O livro Técnicas de Pesquisa e Escrita, oferece orientações práticas desde a preparação de monografias até a elaboração de teses de doutorado.

Na entrevista concedida, a pesquisadora fala da história da sua carreira e como esse trabalho é importante para o nosso país. Com mais de uma década de experiência como economista no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima (IFRR), Michelle explica sobre a importância de um bom profissional da área em uma instituição de ensino. Unir a economia, a educação e a metodologia do ensino foi um grande aprendizado.

 

“A Economia é uma área que pode ser um instrumento para melhorar socialmente a vida das pessoas. Busca-se entender quais são os problemas econômicos, sociais e políticos e, assim, é possível fazer projetos, elaborar políticas que visem a solucionar essas questões e promover um país mais próspero e justo. Percebi que ser economista é dar uma contribuição para que se tenha um desenvolvimento do país, construir uma história genuína e deixar um legado para gerações. Inspirar outras histórias de vida, de crescimento e de sucesso faz parte do meu propósito.

Quando percebo que minha jornada na pesquisa, escrita, publicação de artigos e outros trabalhos pode contribuir de alguma forma para a melhoria da sociedade, considero isso um avanço importante. É isso que me motiva. Busco dar essa contribuição para a sociedade. Às vezes, é um um pequeno passo em um conjunto de contribuições, de melhorias, mas busco fazer a minha parte como economista nesse lado social, compartilhando meus conhecimentos junto com minha trajetória de vida”. Comenta Michelle!

 

Michelle também está expandindo sua atuação educacional através do desenvolvimento de cursos online de desenvolvimento pessoal e profissional. Com especialização em Metodologia do Ensino na Educação Superior, mestra em Desenvolvimento Regional da Amazônia e atualmente doutoranda em Ciências do Meio Ambiente e Sustentabilidade, Michelle possui uma sólida trajetória acadêmica e profissional. Além de seu trabalho como economista, ela já ocupou cargos de gestão no IFRR e colaborou com projetos do Instituto Federal do Amazonas (IFAM). Michelle também contribuiu para a academia com a publicação de capítulos de livros na Editora UFRR e artigos científicos em revistas internacionais. Agora, decidida a compartilhar seu conhecimento adquirido ao longo de sua carreira acadêmica, ela lança seu primeiro livro independente, oferecendo insights valiosos e práticos para estudantes e pesquisadores.

Saiba mais sobre a especialista no link abaixo!
https://www.instagram.com/michelleo.barbosa?igsh=cjY5M285b2piZ21m

Continue lendo
Propaganda

Destaque